Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
90 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57055 )
Cartas ( 21170)
Contos (12597)
Cordel (10080)
Crônicas (22199)
Discursos (3134)
Ensaios - (9003)
Erótico (13395)
Frases (43648)
Humor (18456)
Infantil (3773)
Infanto Juvenil (2688)
Letras de Música (5470)
Peça de Teatro (1317)
Poesias (138244)
Redação (2924)
Roteiro de Filme ou Novela (1055)
Teses / Monologos (2401)
Textos Jurídicos (1925)
Textos Religiosos/Sermões (4854)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->SEXTA -- 16/02/2008 - 20:24 (MARIA CRISTINA DOBAL CAMPIGLIA) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos


SEXTA



Eu navego pelas sextas

com cansaço e pouco espaço.

Tão feliz em coisa minha

ficaria se tivesse

teu olhar aqui por perto

-um momento, um pedaço-

tua presença e teu deserto...



Como não possuo o tato

de falar normal, sem canto;

venho aqui dizer que amo

teu contorno sem retrato.

Teu retrato sem contornos

levo aqui, dentro do peito

e o deserto...é um fato.



O deserto que fizemos

para nós – num ponto alto:

Com jardins e sem asfalto

onde brilha um sol enorme

e estas noites dão abraço...

Porque nele existe o sonho:

meu delírio- e teu contato!
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 1Exibido 327 vezesFale com o autor