Usina de Letras
Usina de Letras
35 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59271 )

Cartas ( 21241)

Contos (13147)

Cordel (10297)

Crônicas (22219)

Discursos (3164)

Ensaios - (9463)

Erótico (13486)

Frases (46709)

Humor (19312)

Infantil (4487)

Infanto Juvenil (3784)

Letras de Música (5484)

Peça de Teatro (1337)

Poesias (138414)

Redação (3059)

Roteiro de Filme ou Novela (1060)

Teses / Monologos (2427)

Textos Jurídicos (1945)

Textos Religiosos/Sermões (5563)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->TEMPO -- 13/02/2008 - 22:13 (benedito morais de carvalho(benê)) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
tempo malevolente

inadiável tempo

birrento,intransigente

cutucando a gente

rugas proliferando

cabelos branqueando

plástica decaindo

calvíce sobressaindo,

orgãos todos corroídos

ossos frágeis,doloridos

memória falhando,

alma arquejando

urina solta,revolta

uma perna imóvel

perde-se a outra

incontinenti mijando

ontem menino iludido

brincando,passando o tempo

hoje rapaz precavido

se poupando para o tempo

amanha velho abatido

desiludido com o tempo

posto,morto,exaurido

esquecido pelo tempo

tempo que anda sem tempo

ligeiramente apressado

deixando o novo no passado.



Autor: Benedito Morais de Carvalho(benê)

Livro: Azul (1994)



Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Perfil do AutorSeguidores: 49Exibido 425 vezesFale com o autor