Usina de Letras
Usina de Letras
32 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59271 )

Cartas ( 21241)

Contos (13147)

Cordel (10297)

Crônicas (22219)

Discursos (3164)

Ensaios - (9463)

Erótico (13486)

Frases (46709)

Humor (19312)

Infantil (4487)

Infanto Juvenil (3784)

Letras de Música (5484)

Peça de Teatro (1337)

Poesias (138414)

Redação (3059)

Roteiro de Filme ou Novela (1060)

Teses / Monologos (2427)

Textos Jurídicos (1945)

Textos Religiosos/Sermões (5563)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->MORTE -- 10/02/2008 - 22:16 (benedito morais de carvalho(benê)) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
morte insidiosa,desgraçada,

ninguém conseguiu te enganar

furta-cor,incolor,desbotada;

sabes como interceptar.



sarcástica,roubas crianças,

insensível,levas mulheres,

apavoras nas tuas matanças

cobrando altos alugueres



quando virá minha vez

não jogues sujo,desgraçada,

quero antever na insensatez

para matar-te asfixiada



Autor: Benedito Morais de Carvalho(benê)

Livro Quase Poético (1994)
Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Perfil do AutorSeguidores: 49Exibido 1053 vezesFale com o autor