Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
53 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57553 )
Cartas ( 21185)
Contos (12639)
Cordel (10186)
Crônicas (22293)
Discursos (3141)
Ensaios - (9094)
Erótico (13416)
Frases (44330)
Humor (18630)
Infantil (3916)
Infanto Juvenil (2862)
Letras de Música (5480)
Peça de Teatro (1320)
Poesias (138280)
Redação (2948)
Roteiro de Filme ou Novela (1056)
Teses / Monologos (2412)
Textos Jurídicos (1926)
Textos Religiosos/Sermões (4995)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->INSTANTES -- 08/02/2008 - 00:27 (MARIA CRISTINA DOBAL CAMPIGLIA) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos


INSTANTES



Fico na beira do rio

a atirar umas pedras.

O sol desenha seus dedos

nas águas calmas

e sinto esta falta

-guardada-

ficar enorme.



Talvez eu percorra os instantes

com receio do meu exagero.

Porque sou como equilibrista

que na corda bamba

resolve olhar o chão...

e então pergunta-se :

tens certeza ?



E a resposta é sempre não.

Porque a certeza é um tronco morto

e o equilíbrio

depende da dúvida.

E o coração do outro

é sempre (sempre!)

um templo desconhecido.



Por isso –

porque no fundo acredito

que um dia

me deixastes visitar lá dentro;

é que continuo com meu jeito de malabarista

arriscando te encontrar

nas alturas...



(a ele)
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui