Usina de Letras
Usina de Letras
22 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 61963 )

Cartas ( 21333)

Contos (13252)

Cordel (10444)

Cronicas (22531)

Discursos (3236)

Ensaios - (10264)

Erótico (13560)

Frases (50380)

Humor (20000)

Infantil (5391)

Infanto Juvenil (4726)

Letras de Música (5465)

Peça de Teatro (1375)

Poesias (140717)

Redação (3290)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2435)

Textos Jurídicos (1956)

Textos Religiosos/Sermões (6142)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Artigos-->Que valor eu tenho? -- 26/10/2002 - 14:53 (Artur Lira dos Santos) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
É até de certo modo criticável a forma em que nossa sociedade brasileira e a de muitos outros países encontraram para cuidar dos interesses gerais de todos: a República.

Estamos acostumados a escolher, ou de certa forma, em um olhar bastante generalizante, contratar funcionários, como prefeitos, governadores, senadores, vereadores, deputados, etc, para fazerem atividades que, na realidade, em nosso ideal igualitário, seriam deveres de todos nós. De certa forma é uma fuga de nosso dever contratar estes funcionários, já que, generalizando novamente, não buscamos fazer muita coisa para ajudar a construir, modificar ou melhorar nosso mundo ao redor. Em nosso país por exemplo, vemos muitas deficiências no âmbito social, famílias vizinhas à nossa passando por uma miséria extrema, entre outras situações que não é preciso mostrar no papel, basta abrir a nossa janela e olhar para fora de nosso mundinho individual e ver como nós, vizinhos da miséria, nos mobilizamos para modificar estas situações. Eu por exemplo, quantas vezes atendo na porta de minha casa um homem mal-vestido, sujo, em hora de almoço, que me pede apenas qualquer comida na porta porque não comeu nada desde a noite anterior e eu, em meu mundinho, por medo de sofrer conseqüências graves que meu bairro vive sofrendo. como ser violentado, roubado etc, digo para ele que não tem nada com a boca cheia de feijão? Ultimamente ando quebrando esta barreira, mas a minha cultura de me proteger de qualquer perigo possível às custas de não ajudar quem precisa ainda é muito forte, mas o meu nojo por minha própria posição é maior ainda. Prego algo e ainda não consigo fazer em sua totalidade, isto é péssimo para meu ego, o eu como um ser, como um indivíduo. Não paramos nem um tempo da semana para refletir sobre a situação de nosso mundo ao redor e buscarmos soluções. Não nos reunimos com outras pessoas que visualizam os mesmos problemas sociais para buscarmos melhorar a situação. Infelizmente criamos um mundo em que muitas vezes, temos a visão de que, o ser individual não tem importância por não mudar nada sozinho. Acredito que deveríamos buscar cada vez mais a visão de que o ser, como indivíduo tem o seu valor próprio, que causa um valor importante na sociedade.

Não discordo da República estar instituída em nosso país, ou seja, também não discordo de elegermos os representantes políticos, não obstante acredito que deveríamos buscar quebrar esta idéia de que, como os elegemos, devemos deixar em suas mãos tudo, esquecendo a importância que cada um poderia ter nas modificações do país. Devemos pensar em nós sim, em nosso trabalho, em nossa vida, em nossa individualidade, mas devemos pensar principalmente em quem precisa de um apoio, seja lá qual for o tipo. É fato que critiquei a república, mas só foi uma crítica justamente por conta de nosso descaso da nossa participação efetiva na sociedade.

Para ver até que ponto o nosso descaso chega, em nosso país, muitos de nós não participamos nem da escolha dos “funcionários” da República. O número de pessoas descrentes do valor de seu voto no Brasil aparenta atingir porcentagens alarmantes. Basta observarmos os resultados desta última eleição presidencial, em 2002. De um eleitorado totalizado em 115.253.816, 20.449.690, que correspondem a 17,74% do eleitorado, se abstiveram. Podemos observar claramente que é um valor que poderia causar resultados totalmente diferentes dos definidos no 1º turno desta eleição.

Ao meu ver, é triste observar que muitos cidadãos brasileiros não estão se interessando em buscar entender o atual cenário político em que nosso país se encontra. Ouvi de muitas pessoas algumas frases típicas que demonstram o desinteresse pela política: “todos roubam mesmo.” , “querem somente tirar proveitos às nossas custas”, “não gosto de política simplesmente porque não vejo a sua importância para mim”, entre outras frases formuladas muitas vezes de forma precipitada por uma questão de cultura bastante forte ou por realmente a falta de conhecimento sobre a abrangência da política no cenário nacional e mundial. Nem o seu voto o indivíduo chega a valorizar. Afinal caro leitor, se teu voto não fosse importante, com certeza nenhum dos outros 115.253.815 votos também não teriam valor algum.

Acredito que estas pessoas desinteressadas pela política infelizmente não percebam o quanto ela se intromete nos seus cotidianos. Ao meu ver, é algo sério, pois para mim é claro que, se você compra um ovo, já se visualiza um pouco ou até muito de política nisto.

Enfim, faço um apelo a todos: consolidem suas idéias pesquisando tudo sobre o cenário político atual, sobre os candidatos da situação e oposição, os ideais dos partidos, as corrupções políticas em nosso país, o caráter dos representantes partidários, enfim, busquem realmente se informar. Acredito que desta forma(pode existir outras), não encontrarei por exemplo dentro do ônibus alguém falando pro outro que política não muda nada ou interfere em nada no cotidiano do povo. Seu voto é importante sim, portanto não cometa o erro de votar sem ter idéia real em que equipe você esta votando.



Artur Lira dos Santos, 26/10/2002.



Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui