Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
143 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 58134 )
Cartas ( 21211)
Contos (12852)
Cordel (10239)
Crônicas (22080)
Discursos (3147)
Ensaios - (9225)
Erótico (13452)
Frases (45278)
Humor (18934)
Infantil (4152)
Infanto Juvenil (3229)
Letras de Música (5505)
Peça de Teatro (1328)
Poesias (138695)
Redação (2995)
Roteiro de Filme ou Novela (1058)
Teses / Monologos (2417)
Textos Jurídicos (1934)
Textos Religiosos/Sermões (5248)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->A LUZ -- 09/09/2007 - 15:28 (ALFREDO ROSSETTI) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Gosto quando vens mansa, sem o gosto da pressa.

Vens cálida, chorosa. Vens como a brisa da manhã

que se despertou inteira. Gosto assim,

de corpo, alma leve, folha ao vento. Gosto

quando vens direta, mas passas por céus

entre nuvens brancas, como esta sensação

de que vens a mim como o dia.

Gosto quando vens enigma,

sem aviso, sem palavras que afetem

as mãos, sem pele nem flor que rubre

o coração. Gosto quando vens alegria, e chegas

mantra refrescante, semeando raios

de um sol próprio, pequeno calor que não me agita

nem me expia. Assim, como um nada, para

o qual não se pede som, poema, nenhuma chave,

nova estrada. Quando vens, sequer preciso de mim.







2007

www.alfredorossetti.com.br
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui