Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
111 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57005 )
Cartas ( 21168)
Contos (12596)
Cordel (10072)
Crônicas (22187)
Discursos (3134)
Ensaios - (8995)
Erótico (13393)
Frases (43601)
Humor (18446)
Infantil (3771)
Infanto Juvenil (2671)
Letras de Música (5469)
Peça de Teatro (1316)
Poesias (138212)
Redação (2924)
Roteiro de Filme ou Novela (1054)
Teses / Monologos (2400)
Textos Jurídicos (1925)
Textos Religiosos/Sermões (4847)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->Desvencilhar -- 01/08/2007 - 23:02 (MARIA CRISTINA DOBAL CAMPIGLIA) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos


Desvencilhar



Acalmaste meu coração

com a chama ardente do desejo.

Depois o estendeste como folha, ao sol-

um sol de sentimentos inventados-

e assim de pouco caso e indiferente

o pisaste como grama com prazer.



Nada mal o que me deste em pagamento:

as horas e a ilusão de estar em ti.

Sem pena e sem remorso permiti

assim, qual beija-flor que dança o fim.

Você pescando beijos no meu rosto

e eu : adivinhando o que sentir...



Depois lá vem os dias e os minutos.

Num canto de mormaço com tentáculos

e mundo e correria, sempre assim:

perdendo-nos sem traumas e sem choros,

deixando a luz acesa sem partir...

Perdendo-nos assim : sem ter um fim...



Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 1Exibido 295 vezesFale com o autor