Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
112 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57528 )
Cartas ( 21184)
Contos (12627)
Cordel (10183)
Crônicas (22288)
Discursos (3141)
Ensaios - (9091)
Erótico (13416)
Frases (44308)
Humor (18625)
Infantil (3910)
Infanto Juvenil (2856)
Letras de Música (5479)
Peça de Teatro (1320)
Poesias (138251)
Redação (2948)
Roteiro de Filme ou Novela (1056)
Teses / Monologos (2412)
Textos Jurídicos (1926)
Textos Religiosos/Sermões (4989)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->NÓS DOIS -- 24/06/2007 - 23:57 (MARIA CRISTINA DOBAL CAMPIGLIA) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
NÓS DOIS



Chegaste como surpresa

-irremediável prazer-

entre estas cópias de chave,

noite, cinemas e hotéis,

como se fóssemos livres e tudo fosse possível.

Sem ter que nada explicar

ou mesmo nada a pagar...

Sem ter as cercas estreitas

nem mundo que obedecer.



Plantamos flores e arbustos

belos e cheios de estrelas

como um desenho,

aquarelas!

Fizemos viagens à lua

e despistamos o tempo.



Num túnel deixei bagagem

(caso eu voltasse depois)

como se o mapa obrigasse:

trilha marcando o "talvez".

Entre as verdades e as camas

muita poesia encenei

porque eu queria teus olhos

e tinha tudo (eu achei!)



O tempo devolve as cópias

chaves, bagagens, papéis,

e coa teus sentimentos

para fazer um painel...

E ficas tu- fico eu.;

sem trilhos e sem estrelas

-cheios de normas e assuntos

com afazeres e coisas-

num mundo que obedecer...



Um vaso quebra e colado

não é o mesmo : isso eu sei!

Belo ditado que guardo

-não colei nada esta vez-.



Tenho estes cacos com flores.

Sou vaso novo,

outra vez!

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui