Usina de Letras
Usina de Letras
73 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 62145 )

Cartas ( 21334)

Contos (13260)

Cordel (10448)

Cronicas (22529)

Discursos (3238)

Ensaios - (10339)

Erótico (13566)

Frases (50551)

Humor (20021)

Infantil (5418)

Infanto Juvenil (4750)

Letras de Música (5465)

Peça de Teatro (1376)

Poesias (140784)

Redação (3301)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2435)

Textos Jurídicos (1958)

Textos Religiosos/Sermões (6175)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Contos-->Cryonça -- 02/08/2006 - 13:56 (A A Livro Pálida Sombra) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Era uma vez um miguxo aprendendo num Casiotone
depois de tocar "bodybodybody bode da cara preta"
por 167 vezes me deu uma angústia no peito
e sentimentos de homicídio e depredação
mas então decidi fundar uma irmandade mística



Corri muito por aí cheguei na casa de Mr Fremont
Dan hollis ligou a vitrola e começou a tocar
"bodybodybody bode da cara preta" em ritmo de
jazz tomei 77 vidros de chá de trombeta e fui embora



"Seria aquilo uma alucinação" numa rua deserta
de repente apareceu um grupo com milhares de
pessoas atrás de um carro de som tocando
"bodybodybody bode da cara preta" isso deve ser um
complô dos grupos organizados ou corporativistas
me joguei na frente do carro de som



Acordei num lugar onde não sabia se estava
no céu ou no inferno então veio uma voz e disse
"Não existe céu nem inferno simplesmente o
indivíduo quando morre atropelado por uma
música fica ouvindo essa música eternamente
tá no manual da próxima vez se mata comendo
uma mulher gostosa ou um bolo de chocolate"
"bodybodybody bode da cara preta chifra
essa gentinha que tem medo do capeta" ad eternum



Contatos:sombraflutuante@hotmail.com














Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui