Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
115 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57553 )
Cartas ( 21185)
Contos (12639)
Cordel (10186)
Crônicas (22293)
Discursos (3141)
Ensaios - (9094)
Erótico (13416)
Frases (44330)
Humor (18630)
Infantil (3917)
Infanto Juvenil (2862)
Letras de Música (5480)
Peça de Teatro (1320)
Poesias (138280)
Redação (2948)
Roteiro de Filme ou Novela (1056)
Teses / Monologos (2412)
Textos Jurídicos (1926)
Textos Religiosos/Sermões (4995)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->De Manhã -- 10/05/2007 - 00:28 (MARIA CRISTINA DOBAL CAMPIGLIA) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
DE MANHÃ



Despertador de brinquedo,

este, que acaba a pilha...

De noite pára e eu durmo :

tudo parece mentira!

Hora, relógio, café,

Onde estou...cadê você?



Vou levar os meus sapatos, quem sabe calço no carro...

A chave, o pente, o asfalto : buzina, que lá vem gente!

Não me despistes o rumo- eu fico assim, assustada:

quero saber do meu ser

se ainda está bem centrado...



Como na máquina quente

-fritando a alma da gente-

vem calendário iminente

ditando o ponto e o instante.

Tem que ficar bem distante

de tudo aquilo que entendes...



Tenho que ver o dentista, também encher este tanque.

Preciso ver o cliente, chamar de amigo o insistente-

saber que rumo tem dado ao nosso almoço a menina,

comprar um vaso de flores, trocar o véu da cortina...

isto se fosse verdade...



Verdade é aquilo que anima,

tudo que à vida dá a rima...

Você ficou ao meu lado

enquanto a noite corria

e eu me detive na estrela

longe das diárias mentiras...



Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui