Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
93 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57055 )
Cartas ( 21170)
Contos (12597)
Cordel (10080)
Crônicas (22199)
Discursos (3134)
Ensaios - (9003)
Erótico (13395)
Frases (43648)
Humor (18456)
Infantil (3773)
Infanto Juvenil (2688)
Letras de Música (5470)
Peça de Teatro (1317)
Poesias (138244)
Redação (2924)
Roteiro de Filme ou Novela (1055)
Teses / Monologos (2401)
Textos Jurídicos (1925)
Textos Religiosos/Sermões (4854)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->Meu Baú -- 08/05/2007 - 12:26 (MARIA CRISTINA DOBAL CAMPIGLIA) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
MEU BAÚ



Já te contei um dia.

Caminho como formiga, alerta aos sinais de voz.

Uma voz que tu me deste, como senha ou talismã.

Levo-a dentro do peito e carrego como anteparo:

meio na corda bamba, alma de equilibrista.;

faço pirueta de artista para escutar teu amor...



Teu amor ...

É como surpresa (tenho um baú de nós dois...)

Abri-lo e deixá-lo solto pode exaltar nosso sol,

aquele sol dos encontros cheios de luz com tua voz,

que invade como tornado e não permite o depois...

Caminho como formiga: sempre escutando a voz...



Eu não explico -nem quero- este baú de nós dois.

É meu baú de brinquedo, mas tem verdade e tem dor...

Tudo que dói é sagrado , serve de mapa depois.

Talvez amor, seja isso : mapa de ti nesta voz-

esta que levo aqui dentro, que tu deixaste guardar...

que cultivaste em meu peito, mesmo sem ter permissão...



Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 1Exibido 324 vezesFale com o autor