Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
99 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57012 )
Cartas ( 21168)
Contos (12603)
Cordel (10073)
Crônicas (22187)
Discursos (3134)
Ensaios - (8995)
Erótico (13393)
Frases (43603)
Humor (18446)
Infantil (3772)
Infanto Juvenil (2676)
Letras de Música (5469)
Peça de Teatro (1316)
Poesias (138216)
Redação (2924)
Roteiro de Filme ou Novela (1055)
Teses / Monologos (2400)
Textos Jurídicos (1925)
Textos Religiosos/Sermões (4847)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->Papoulas -- 10/04/2007 - 21:33 (MARIA CRISTINA DOBAL CAMPIGLIA) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos


Papoulas.



Vim do fim da estrada

onde convergem as papoulas.

Nasceram feito loucas

como seres coloridos

que inventaram madrugadas.

Abriram feito leques suas caras

no momento em que as olhei pela janela.

Como alma inexperiente que apavora.;

criança que ao nascer assusta e chora-

estilhaçam seus azuis de céus verões

e tornam-se esculturas de prazer...



Coincide meu minuto de aventura

com sutil momento mágico da vida-

não tenho nem dinheiro nem poderes,

mas tenho esta vontade de estar viva!

Concreto e altitudes em cidades

e carros com barulhos e motores:

alugam-se e creditam-se valores

e todos conformamos nossas dores.

Te quero .; eu nem sei quem és -ou onde-

mas sei que estás no mundo feito flores.

Aquelas que inventamos nos verões!





Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 1Exibido 256 vezesFale com o autor