Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
93 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57502 )
Cartas ( 21184)
Contos (12607)
Cordel (10175)
Crônicas (22280)
Discursos (3141)
Ensaios - (9088)
Erótico (13415)
Frases (44274)
Humor (18616)
Infantil (3901)
Infanto Juvenil (2847)
Letras de Música (5479)
Peça de Teatro (1320)
Poesias (138230)
Redação (2946)
Roteiro de Filme ou Novela (1056)
Teses / Monologos (2411)
Textos Jurídicos (1926)
Textos Religiosos/Sermões (4980)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->O amor .¬ você e eu -- 18/03/2007 - 01:45 (MARIA CRISTINA DOBAL CAMPIGLIA) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
O amor.; você e eu.



O amor é uma seqüência de erros.

Um pulo no compasso paralelo

saindo do circuito-

entrando em pentagramas alheios.



É como nadar na correnteza

com a força em seu favor.

Como abrir um baú desconhecido

e encontrar as estrelas.



O amor é cruel, desesperado

porque enforca a esperança do infinito.

Nega-nos durar para sempre

porque afirma começar.



E sabemos.



Esperamos o seu fim alucinados.

Agüentamos seu presente no trapézio,

como loucos a voar.

Como pássaros com frio desejando migrar.



Aguardamos procurar a primavera.

Ensaiamos um constante devaneio:

porque ausente, o queremos.

Porque presos, desdenhamos.



Eu venero que chegaste a mim um dia.

Ou fui eu, que cheguei naquela noite...

Teu olhar abriu caminho como flecha,

meus segredos (meu silêncio) devoraste.



E fizemos desse espaço nosso encontro.

Nos papéis de figurantes fomos uns-

marionetes desvairadas - convencidas-

que acreditam nessa coisa que é a vida.



Mas passaste.

E contigo tu levaste parte minha.



Quero a chave e a promessa devolvidas:

minha chave de ilusão , mesmo que falsa

para andar por essa terra que roubaste.

A promessa de um amor (nem sei se existe!)

que convence belamente (e para sempre).



Como o astro alucinante que inventaste!



Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui