Usina de Letras
                                                                         
Usina de Letras
239 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59012 )

Cartas ( 21232)

Contos (13075)

Cordel (10287)

Crônicas (22188)

Discursos (3163)

Ensaios - (9397)

Erótico (13483)

Frases (46345)

Humor (19241)

Infantil (4416)

Infanto Juvenil (3659)

Letras de Música (5476)

Peça de Teatro (1335)

Poesias (138112)

Redação (3046)

Roteiro de Filme ou Novela (1060)

Teses / Monologos (2425)

Textos Jurídicos (1940)

Textos Religiosos/Sermões (5486)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Cordel-->NEGÓCIO NO CONFESSIONÁRIO -- 14/05/2016 - 23:30 (Benedito Generoso da Costa) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
. NEGÓCIO NO CONFESSIONÁRIO

I

Na Itália um católico
Vai até ao confessionário
Pra confessar um pecado
E conta para o vigário:
“Na guerra escondi um judeu”
E o padre lhe respondeu:
“Foi um gesto humanitário”.

II

“Não pecou nem é necessário
Fazer qualquer penitência
Porque acolheu um irmão
Em sua própria residência,
Para a casa volte em paz
Pois isso é bom e só o faz
O fiel que tem consciência”.

III

“Mas eu não tive clemência
E esse é o pecado meu,
Não lhe contei tudo ainda”
E o padre não entendeu...
“Eu me sinto como um réu,
Temendo perder o céu
Por explorar um judeu”.

IV

“Como assim? Pergunto eu!
Que fez de mal meu fiel
A um irmão necessitado
A quem deu leite e mel?”
Respondeu-lhe o confessante:
“Não fui honesto o bastante
Porque lhe cobrei aluguel”.

V

“No entanto não foi cruel”
Disse o padre bonachão,
Acrescentando: “Não houve
Sequer uma ingratidão,
Pois se tratou de um negócio
Com quem desfrutou do ócio
Durante a perseguição”.

VI

“Dê-me a sua absolvição
Se sou um fiel que pecou
Proponho-lhe ser meu sócio”
De pronto o padre aceitou:
“O judeu é muito rico
E eu não lhe comunico
Que a guerra já terminou”.

VII

Assim o perdão se comprou,
Pois dinheiro compra tudo
Fiel com paz na consciência
E com seu bolso polpudo,
O padre abençoando a todos
Ganhando dinheiro a rodos
Cada vez mais barrigudo.

Benedito Generoso da Costa

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.
Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (http://www.usinadeletras.com.br/exibelotextoautor.phtml?user=GENEROSO).
Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 101Exibido 314 vezesFale com o autor