Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
82 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57055 )
Cartas ( 21170)
Contos (12597)
Cordel (10080)
Crônicas (22199)
Discursos (3134)
Ensaios - (9003)
Erótico (13395)
Frases (43648)
Humor (18456)
Infantil (3773)
Infanto Juvenil (2688)
Letras de Música (5470)
Peça de Teatro (1317)
Poesias (138244)
Redação (2924)
Roteiro de Filme ou Novela (1055)
Teses / Monologos (2401)
Textos Jurídicos (1925)
Textos Religiosos/Sermões (4854)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->Tem o oceano -- 15/03/2007 - 23:57 (MARIA CRISTINA DOBAL CAMPIGLIA) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos


Tem o Oceano



Você acha que brinca na expectativa.

E afirma que espero - que quero-

a cor primavera, o cheiro de esmalte, as luzes e o brilho do rosto bonito.

De volta do sonho e do tom que parece ,

você se exercita para fazer de conta,

me evita ou me chama, conforme as horas : me pensa de festa, me ilude à toa...

Você acredita!

Você não conhece a minha cabeça,

não sabe o que creio, que sei, que venero...



Vou contar a você

porque não precisa das tramas, dos dribles, das coisas mal ditas

(mentiras ingênuas que ficam pequenas...).

A gente transita por outro universo: o oculto? O incerto?

Mais certo que tudo.

Não busco a beleza, aparência e pintura- eu quero a loucura das coisas abertas,

do feio e do incauto porém tão concreto que abrace meu ser, me arrebate –

me traz o melhor : o resgate!



Na cúmplice página do hoje e do agora sem crimes nem dramas, com sorte

te encontro em verdade, te espero.

Se feio? Se torto? Que importa ?!!

És pura luxúria : meu sol, minha lua.

És bom como a vida , e assim me acorrentas.

Esqueça o relógio, o bom senso e os anos.

No meio há apenas, meu bem : o oceano!



Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 1Exibido 322 vezesFale com o autor