Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
90 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57395 )
Cartas ( 21182)
Contos (12616)
Cordel (10141)
Crônicas (22260)
Discursos (3139)
Ensaios - (9065)
Erótico (13414)
Frases (44153)
Humor (18595)
Infantil (3853)
Infanto Juvenil (2804)
Letras de Música (5476)
Peça de Teatro (1320)
Poesias (138563)
Redação (2942)
Roteiro de Filme ou Novela (1055)
Teses / Monologos (2409)
Textos Jurídicos (1926)
Textos Religiosos/Sermões (4945)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->Alma Estrangeira -- 03/03/2007 - 13:25 (MARIA CRISTINA DOBAL CAMPIGLIA) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Alma estrangeira



Quando a luz como invasora atinge a madrugada

e parece que as pessoas, todas juntas, compactúam

aí mesmo:

nessa absurda coordenada,

respiro o frio como gelo

(e o introduzo nas entranhas

que reclamam por você).



Não sei me dirigir às convenções, e descubro

que não quero compartir (dividir normas e ritos)

em horários agendados, parcelados, estressantes

que dividam o existir.



Num pequeno instante quieto,

como esfinge,

atenuo tua ausência.

Lá na rua o mundo arranca

entre essas marchas de motores

(esses monstros que circulam espalhando toda a pressa).



Sentimentos imigrantes

-que resgatam teu contorno-

e ameaçam invadir minhas fronteiras

- pelo mar ou mesmo em terra-

e eu aqui, feito mandante,

peço às forças

que vigiem e te prendam.

Que rotulem tua alma sem piedade,

e que a chamem de estrangeira.



Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui