Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
11 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57389 )
Cartas ( 21182)
Contos (12609)
Cordel (10139)
Crônicas (22258)
Discursos (3139)
Ensaios - (9064)
Erótico (13414)
Frases (44151)
Humor (18587)
Infantil (3849)
Infanto Juvenil (2804)
Letras de Música (5476)
Peça de Teatro (1320)
Poesias (138551)
Redação (2942)
Roteiro de Filme ou Novela (1055)
Teses / Monologos (2408)
Textos Jurídicos (1926)
Textos Religiosos/Sermões (4944)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->Faço de conta -- 27/02/2007 - 01:50 (MARIA CRISTINA DOBAL CAMPIGLIA) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos




Faço de conta



Anunciarás como um anjo

que já perdemos as horas,

que terminou a existência

e que eu já posso ir embora.



Vou relutar como ave.

Vou recolher como infame

todas as armas e o sangue,

todas as coisas de outrora.



Quero deixar tua presença

como pedaço de vidro

que se enfiou entre os dentes.

Para jamais eu , perder-te.



Mesmo que brinque no estio

sabes que choro na noite.

Levas a faca que usaste.

Sabes que tu me mataste.



E como algo que agüenta

Compro revistas na banca,

Vou ao trabalho, almoço.

Faço de conta que volto!













Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui