Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
126 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57062 )
Cartas ( 21170)
Contos (12611)
Cordel (10082)
Crônicas (22199)
Discursos (3134)
Ensaios - (9004)
Erótico (13395)
Frases (43653)
Humor (18457)
Infantil (3773)
Infanto Juvenil (2691)
Letras de Música (5470)
Peça de Teatro (1317)
Poesias (138249)
Redação (2924)
Roteiro de Filme ou Novela (1055)
Teses / Monologos (2401)
Textos Jurídicos (1925)
Textos Religiosos/Sermões (4855)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->A FRAGA DA SERPENTE -- 28/11/2006 - 23:00 (João Ferreira) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
A FRAGA DA SERPENTE



Jan Muá

28 de novembro de 2006



Todos os humanos gostariam de conhecer o fardo que trazem às costas.

A existência.

Gostariam de conhecer a caixa de segredos que carregam por dentro.

Desde datas imemoriais, sabemos que nossos antepassados do neolítico se reuniam na montanha sagrada,

Lá para as bandas de Trás-os-Montes, junto à Fraga da Serpente,

Praticavam ali, puxados pelo mistério do destino, rituais ctônicos próprios.

Não sabemos o que de verdade acontecia naqueles rituais.

A arqueologia brevemente o dirá.

Sabemos que os segredos da serpente eram os segredos da vida dessa gente.

Em contraste, os homens de hoje praticam mil outros rituais.

A maior parte deles, rituais de apelo imediato, sem profundidade.

No fundo, o eixo profundo continua intocado, com filosofias e religiões e rituais tentando readivinhá-lo.

A par deste questionamento, os filósofos continuam escavando o ser, pelo pensar.

Como Heidegger, que na obra Sein und Zeit, o Ser e o Tempo, tentou analisar o Dasein, a existência, ou o ser que está aí.

Algo de metafísico.

De mistura com o gnoseológico.

Na raia existencialista.

Um ser em desconserto, como na linea serpentinata do maneirismo e nas oitavas do Desconserto do Mundo de Luís de Camões.

Mas o ser tem de ser levado na escavação

Também pela via sentimental e pela emoção vital.

Nada temos ainda na mão para decifrar a tríplice relação

Entre a linha serpenteante, a fraga da serpente e a serpente do Gênesis, com Eva.

Sabemos apenas que os rituais praticados

No dorso da Fraga da Serpente,

Em Santa Valha de Valpaços

Ou nos castros ainda ignotos de Vila Pouca de Aguiar

Significam que os segredos da serpente,

na totalidade e no seu envolvimento ritual e emocional,

São conhecimentos ancestrais que a escavação

Ainda nos revelará!





Jan Muá

28 de novembro de 2006

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 74Exibido 387 vezesFale com o autor