Usina de Letras
Usina de Letras
23 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 61953 )

Cartas ( 21333)

Contos (13252)

Cordel (10444)

Cronicas (22529)

Discursos (3235)

Ensaios - (10258)

Erótico (13560)

Frases (50354)

Humor (19993)

Infantil (5388)

Infanto Juvenil (4724)

Letras de Música (5465)

Peça de Teatro (1375)

Poesias (140710)

Redação (3290)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2435)

Textos Jurídicos (1956)

Textos Religiosos/Sermões (6141)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Cronicas-->Vaca Profana -- 14/03/2004 - 08:34 (Andre Luis Aquino) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Esta música sempre me intrigou, primeiro quando era criança porque achava engraçada a letra quando Gal Costa falava de "tetas" eu cai na gargalhada, coisas de criança.
Ela fala um pouco de São Paulo e de muitas coisas e queria tentar dar uma dissecada na letra dela.
A canção é de 1984 e confesso que prefiro ela na voz de Gal Costa, quando Caetano fala no verso" São Paulo é como o mundo todo" ele quer dizer que São Paulo tem pessoas do mundo todo, uma babilónia de raças e classes, é uma cidade cosmopolita e todos tentando viver em harmonia, amando-se com todo ódio como diria outro gênio, Tom Zé.
Em suas próprias palavras Caetano diz:
"Estava na Europa e, atendendo a um pedido de Gal, fiz essa canção de refrões mutantes que são difíceis de memorizar. Na verdade é também uma canção sobre Gal. Ou melhor: procura dialogar com a persona pública de Gal. Tem muitas sacações bacanas."
Fica claro que Caetano gosta do jogo de palavras, gosta de brincar com elas e inventa relações entre estas, cria um universo paralelo em suas canções.
E de uma forma transgressora inverte significados, subverte ordens e não segue a norma culta da língua portuguesa, utiliza-se em toda a plenitude o direito de usar sem dó a licença poética para criar a sua própria arte.Fala bem com as palavras quase mudas e escreve melhor ainda nas entrelinhas, um surrealista em sua essência.
Mistura num possante liquidificador de idéias até palavras de outras línguas, uma colagem de conceitos que não se diluem, sustentam-se.
Logo no primeiro verso Caetano já diz a que veio" Respeito muito minhas lágrimas/
Mas ainda mais minha risada" em tom confessional Caetano dá a pista fundamental que a canção será uma sátira e terá um sentido jocoso e sarcástico, quase cínico.
Caetano revela em sua declaração que a Vaca Profana de divinas, maravilhosas e assombrosas tetas é na verdade Gal e todas as mulheres do mundo que através de seus seios símbolos de sua feminilidade alimentam seus filhos, nós os mamíferos divinos, através do leite que brota de seus seios.
Ao colocar seus cornos(= a chifres) "acima da manada" estaria se diferenciando, impondo-se.
O leite aqui é um dos protagonistas já que é o principal produto de uma vaca, aliás acho que Caetano faz uma comparação entre a mulher e a vaca só para chocar e o leite na cara é ao mesmo tempo uma benção para os "bons" e algo mau para os "maus".
A Bahia e sua onipresença é algo obvio nos baianos orgulhosos de seu estado e sua diversidade cultural principalmente em Salvador, e temos ainda o Rio e Belo Horizonte representando as maiores metrópoles do Brasil.
Em "quero que pinte um amor Bethània" ele manda um recado a sua amada irmã lhe desejando sorte no amor.
Fala em Steve Wonder e dá pistas do que gosta de ouvir alem dê em "Meu mundo Thelonius Monk s blues" faz uma referencia a uma famosa escola de jazz de uma universidade da Califórnia.
Ao dizer em suas palavras que esta canção foi composta na Europa Caetano esclarece porque existem tantas referências a Europa e especialmente a Espanha, é bom lembrar que o touro na Espanha é o principal protagonista de um dos símbolos deste país, as touradas, e as vacas são as mães dos touros.
As menções que Caetano faz na canção aos lugares dão as pistas por onde ele estava viajando naquela época ou viajou durante seu exílio, Tel Aviv, Paris, New York , Napoli e a Espanha que é bem destacada inclusive nas citações aos estilos artísticos dos artistas locais.
Em "Sou tímido e espalhafatoso/Torre traçada por Gaudi" Caetano fala de Gaudi ,a saber:
Antoni Gaudi foi um arquiteto espanhol criador de um estilo próprio fundiu o neogótico com a arte nova, a modernista .Sua obra era baseada nas leis naturais sem copiar estruturas direto da natureza, mas usando-as como padrões,da sua observação da natureza tirou a idéia de usar as estruturas, concebia suas obras como seres orgànicos que necessitam de luz e ar.
No verso"Mas eu também sei ser careta/De perto ninguém é normal" Caetano faz uma alusão a Sigmund Freud e suas teorias e fala do "careta" uma gíria usada para as pessoas que não aceitam idéias novas e as consideram exóticas, é um claro recado as pessoas que o consideravam estranho e louco demais e por isso ele queria o leite mal na cara dos caretas.
Bom, acho que talvez seja por ai, com vocês:




Vaca Profana
(Caetano Veloso)

Respeito muito minhas lágrimas
Mas ainda mais minha risada
Escrevo assim minhas palavras
Na voz de uma mulher sagrada
Vaca profana põe teus cornos
Pra fora e acima da manada
Vaca profana põe teus cornos
Pra fora e acima da manada
E dona de divinas tetas
Derrama o leite bom na minha cara
E o leite mau na cara dos caretas
Segue a movida Madrileña
Também te mata Barcelona
Napoli Pino Pi Pau Punks
Picassos movem-se por Londres
Bahia onipresentemente
Rio e belíssimo horizonte
Bahia onipresentemente
Rio e belíssimo horizonte
E vaca de divinas tetas
La leche buena toda em mi garganta
La mala leche para los puretas
Quero que pinte um amor Bethania
Stevie Wonder andaluz
Mais do que tive em Tel Aviv
Perto do mar longe da cruz
Mas em composição cubista
Meu mundo Thelonius Monk s blues
Mas em composição cubista
Meu mundo Thelonius Monk s blues
E dona de divinas tetas
Quero teu leite todo em minha alma
Nada do leite mau para os caretas

Sou tímido e espalhafatoso
Torre traçada por Gaudi
São Paulo é como o mundo todo
No mundo um grande amor perdi
Careta de Paris e New York
Sem mágoas estamos aí
Careta de Paris e New York
Sem mágoas estamos aí
E vaca das divinas tetas
Teu bom só para o oco minha falta
E o resto inunde as almas dos caretas

Mas eu também sei ser careta
De perto ninguém é normal
Às vezes segue em linha reta
A vida que é meu bem meu mal
No mais as ramblas do planeta
Orchata de chufa si us plau
No mais as ramblas do planeta
Orchata de chufa si us plau
Ê deusa de assombrosas tetas
Gotas de leite bom na minha cara
Chuva do mesmo bom sobre os caretas 3x

http://andre.aquino12.blog.com.br
meucaminhar@yahoo.com.br
Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui