Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
237 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57053 )
Cartas ( 21170)
Contos (12588)
Cordel (10080)
Crônicas (22199)
Discursos (3134)
Ensaios - (9002)
Erótico (13395)
Frases (43642)
Humor (18455)
Infantil (3772)
Infanto Juvenil (2688)
Letras de Música (5470)
Peça de Teatro (1317)
Poesias (138241)
Redação (2924)
Roteiro de Filme ou Novela (1055)
Teses / Monologos (2401)
Textos Jurídicos (1925)
Textos Religiosos/Sermões (4852)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->Amante do Tempo -- 11/11/2006 - 02:20 (MARIA CRISTINA DOBAL CAMPIGLIA) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Amante do Tempo



Ando no andaime cortante das quinas e equilibro os pés

Como se as coisas permitissem percorrê-las a fio...

Nas superfícies objetais passo rápido (não paro)

Sem desdenhá-las porém sem levá-las comigo:

Elas me fitam com gana e fome...

me arrancam a alma puxando pelos olhos

e eu, acostumada a deixá-las- não resisto.

Minutos relógio, minutos – espera : o Tempo se cansa de tanta vantagem. Obriga, tortura.; me deixa sozinha.

Revolto e reclamo contagens : a vida é passagem.

Aposto na guia do fio do meio (ao alcance da mão),

me jogo no abismo dos prédios enormes

e peço perdão. Não sei compactuar.

Não sei barganhar com o Tempo.

Permito os perfumes : acredito em oásis

Tudo de joelhos, no verbo sonhar.

Negociando canções que nunca irei cantar,

a perdê-las de vista e obrigá-las a ficar.

Sucumbem, se vão. Ficam palavras-

Difícil sorteio nas beiras prediais ,

incerta cidade de feras exaustas.

Pássaros de cartão tiram finos no ar. Não sei voar!

(Não detenho o Tempo ! )- e ele, a passar

me esbarra, se equivoca : não sabe o que fazer.

Vira ditador : nem sabe como eu sonho,

Como aposto e O enveneno, silenciosamente,

No meio do meu coração. Graças ao ser esquisito

que morre na praia.

O verbo solene que rouba o Mar.

Te leva, meu Tempo : o verbo Amar.





Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 1Exibido 366 vezesFale com o autor