Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
98 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57016 )
Cartas ( 21168)
Contos (12612)
Cordel (10074)
Crônicas (22188)
Discursos (3134)
Ensaios - (8996)
Erótico (13394)
Frases (43614)
Humor (18448)
Infantil (3772)
Infanto Juvenil (2678)
Letras de Música (5470)
Peça de Teatro (1316)
Poesias (138224)
Redação (2924)
Roteiro de Filme ou Novela (1055)
Teses / Monologos (2400)
Textos Jurídicos (1925)
Textos Religiosos/Sermões (4848)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->Sentimentos -- 04/09/2006 - 23:58 (MARIA CRISTINA DOBAL CAMPIGLIA) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos


Saindo por uma porta, vejo o mar.

O mar que fizemos juntos,

Insaciável e presente.

O mar que põe medo, convida

E me deixa só na imensidão.



Criamos a imensidão ,

achando que era possível.

Criamos sóis, estrelas.

Belas baleias enormes onde nadamos o Tempo.

Você recolhendo peixes

Como se fossem tesouros,

Peixes prateados e vivos, sentimentos meus,

Sentimentos nossos.



Num barco de espuma areia

Quero que o mar não se vá.

Saindo por uma porta, o vejo lá.

E ao tentar guardá-lo comigo, desaparece.

Meu medo fica sozinho : eu não te acho mais.



Um mar tão enorme e forte, tão brutal,

E nossa rede de encantos de areia e sol-

Tudo se vai.

Como se fosse possível, guardo no balde a pá

Que qual varinha de fada, faz o mar entrar.

Guardo pra mim, todo o mar.

O mar que me destes, nosso mar.









Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 1Exibido 421 vezesFale com o autor