Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
109 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57528 )
Cartas ( 21184)
Contos (12627)
Cordel (10183)
Crônicas (22288)
Discursos (3141)
Ensaios - (9091)
Erótico (13416)
Frases (44308)
Humor (18625)
Infantil (3910)
Infanto Juvenil (2856)
Letras de Música (5479)
Peça de Teatro (1320)
Poesias (138251)
Redação (2948)
Roteiro de Filme ou Novela (1056)
Teses / Monologos (2412)
Textos Jurídicos (1926)
Textos Religiosos/Sermões (4989)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->Quem sabe? -- 04/09/2006 - 23:56 (MARIA CRISTINA DOBAL CAMPIGLIA) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos


Teu olhar me surpreende

Num canto mudo da sala.

Me aguarda louco e indecente, me prende,

Me amarra a alma num lustre e me acende.

Não me acalanta, me tortura.



Saio da frente, me esqueço .

Te largo só, te abandono,

Faço café, telefono.

Vou ao banheiro e chuveiro,

Tenho um espelho.

Lá está você, me fitando.



Quantos dias dessa agonia,

Quantas lembranças?

Quantas fitas tem a mente, a memória,

Que ainda vai me passar,

Como urgente?



Tu não me largas, me segues.

Me deixas acreditando que ainda existes.

E por qualquer recaída, que em fim tu tenhas,

Deixo a porta sem tranca –alguma!, sem chave

Caso pretendas sair, ou então –quem sabe?-

Resolvas vir, quase urgente.



Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui