Usina de Letras
                                                                         
Usina de Letras
257 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59138 )

Cartas ( 21236)

Contos (13105)

Cordel (10292)

Crônicas (22196)

Discursos (3164)

Ensaios - (9439)

Erótico (13481)

Frases (46521)

Humor (19282)

Infantil (4461)

Infanto Juvenil (3729)

Letras de Música (5479)

Peça de Teatro (1337)

Poesias (138241)

Redação (3054)

Roteiro de Filme ou Novela (1060)

Teses / Monologos (2427)

Textos Jurídicos (1945)

Textos Religiosos/Sermões (5526)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Humor-->NÃO SEJA UM PORCO -- 15/10/2003 - 17:46 (Benedito Generoso da Costa) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
. NÃO SEJA UM PORCO

Conta-se que um fazendeiro
um cavalo possuía
e entre os demais que tinha
só este não venderia;
de estimação, sem igual,
eis que o belo animal
ficou doente certo dia.

Chamou o veterinário,
que o mal diagnosticou:
- Trata-se de uma virose
e o remédio que lhe dou,
para curar seu cavalo,
por três dias vai tomá-lo,
vejo, então, se melhorou.

Como é doença contagiosa,
já lhe deixo avisado,
se ele não se curar
há de ser sacrificado.
Tendo assim dito, saiu,
porém um porco ouviu
tudo o que ali foi falado.

O cavalo não podia
sequer parar mais em pé
e o porco o importunava,
dizendo-lhe com má fé:
- Trate de ficar curado,
se não vai morrer matado,
quem avisa amigo é.

Voltou o veterinário,
três dias tendo passado,
o cavalo lá estava
do mesmo jeito, deitado;
preparou uma injeção
e o porco riu, então,
do seu amigo coitado.

De repente o corcel
levantou-se e correu,
e o fazendeiro exclamou:
- Sarou o cavalo meu!
Este porco eu vou matar,
pois temos que festejar
o milagre que se deu.

BENEDITO GENEROSO DA COSTA












Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do AutorSeguidores: 101Exibido 764 vezesFale com o autor