Usina de Letras
                                                                         
Usina de Letras
245 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59012 )

Cartas ( 21232)

Contos (13078)

Cordel (10287)

Crônicas (22188)

Discursos (3163)

Ensaios - (9397)

Erótico (13483)

Frases (46347)

Humor (19241)

Infantil (4418)

Infanto Juvenil (3659)

Letras de Música (5476)

Peça de Teatro (1335)

Poesias (138114)

Redação (3046)

Roteiro de Filme ou Novela (1060)

Teses / Monologos (2425)

Textos Jurídicos (1941)

Textos Religiosos/Sermões (5486)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Cordel-->SEM RIO E SEM RUÍDO! -- 25/05/2012 - 17:01 (Andarilho) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
.
SEM RIO E SEM RUÍDO!
Silva Filho



Cachoeira em Brasília
Não tem rio nem ruído
Com um silêncio profundo
Que parece atrevido.
Procurando a nascente
Uma CPI vai em frente
Seguindo só um mugido.

O silêncio faz sentido
Porque é conveniente
Para muita gente grande
Que esteve na corrente
E não quer uma devassa
No leito que lhe abraça
Com os braços de nubente.

Quem não é burro pressente
Que se trata de cascata
Ou como dizem os cegos
Uma simples catarata;
Mas a “água”, neste caso
Não corre assim por acaso
Pra desaguar na Mamata.

Muita gente de gravata
Por baixo da cachoeira
Colhendo belos momentos
Na cascata financeira;
Um delta compõe a foz
E mesmo faltando voz
Ninguém deixa sua beira.

A vida é prazenteira
Nesse rio assoreado
Que não passa por limpeza
Porque tem leito blindado;
E os detritos pelo chão
Com as marcas de cifrão
Têm destino bem traçado.

Garçom – estou enjoado
De tanto andar de canoa
O navio encalhou
Com magnatas na proa;
Já é hora de um lanche
E como não tem revanche
Traz uma pizza, da boa.

/aasf/
25/05/2012


Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 1Exibido 191 vezesFale com o autor