Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
253 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57940 )
Cartas ( 21204)
Contos (12788)
Cordel (10234)
Crônicas (22050)
Discursos (3145)
Ensaios - (9188)
Erótico (13450)
Frases (45027)
Humor (18875)
Infantil (4089)
Infanto Juvenil (3117)
Letras de Música (5496)
Peça de Teatro (1328)
Poesias (138516)
Redação (2984)
Roteiro de Filme ou Novela (1056)
Teses / Monologos (2416)
Textos Jurídicos (1932)
Textos Religiosos/Sermões (5184)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Cordel-->VOO DE POLENS: Livro de Poesias de Rubenio Marcelo -- 23/04/2012 - 14:36 (José de Sousa Dantas) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos

VOO DE POLENS - 100 sonetos e outros rebentos poéticos:
Novo Livro de Poesias de Rubenio Marcelo

José de Sousa Dantas

RUBENIO MARCELO tem
o dom de fazer poesia,
em verso livre ou rimado,
na mais perfeita harmonia,
desenvolve qualquer tema
e o transforma num poema,
cheio de encanto e magia.

Um poeta talentoso
que pesquisa e vai a fundo
no assunto e se inspira,
faz um poema fecundo
de uma beleza rara,
de suma importância para
POLINIZAÇÃO no mundo.

Sonha, pensa, sente e cria,
faz um poema bonito,
num nível de excelência
do mais alto gabarito,
de qualidade e respeito,
que vai além do conceito
de popular e erudito.

Usa a força do talento
dado pelo Criador,
para construção de versos
com entusiasmo e amor,
que sempre nos surpreendem,
encantam, inspiram e prendem
a atenção do leitor.

Para enxergar mais profundo
o núcleo de uma questão,
mergulha na sua essência,
faz uma introspecção,
se dedica e se desdobra,
para compor uma obra
com amor e perfeição.

Escreveu ”VOO DE POLENS”
com arte e com maestria,
constituindo uma fonte
de luz e sabedoria,
abundante, rica e pura,
polinizando a cultura
com POLENS de poesia.

Os 100 SONETOS do livro
e outros NOVOS REBENTOS
poéticos de sua lavra
expressam seus sentimentos,
seus sonhos e utopias,
suas dores e alegrias...
e memoráveis momentos.

VOO DE POLENS se torna
uma obra universal,
pela forma de expressão
sublime e transcendental,
que emociona e fascina,
desperta, inspira e ensina,
de uma forma sem igual.

Um lutador incansável,
um verdadeiro guerreiro,
um amante da cultura,
um poeta mensageiro,
sem limite e sem divisa,
que cultiva e POLINIZA
versos pelo mundo inteiro.

O mundo inteiro precisa
de bons POLINIZADORES,
para que a humanidade
possa agregar mais valores,
despertando a consciência
para extrair a essência
do puro NÉCTAR DAS FLORES.

VOO DE POLENS - 100 Sonetos e Outros Rebentos Poéticos, o mais novo livro do poeta Rubenio Marcelo, tem a APRESENTAÇÃO do escritor José do Couto Vieira Pontes (da Academia Sul-Mato-Grossense de Letras) e o PREFÁCIO do poeta Astenio Cesar Fernandes (da Academia Paraibana de Letras), além de COMENTÁRIOS de ilustres poetas e intelectuais, como Abílio de Barros, Geraldo Ramon Pereira, Ronaldo Cunha Lima, Fernando Cunha Lima, Damião Ramos, Regina Lyra, Antônio Costa, Paulo Abrantes, Antônio Miranda, Gustavo Dourado, Américo Calheiros, Maria da Glória Sá Rosa, José Pedro Frazão, Raquel Naveira, Maria Adélia Menegazzo, Lucilene Machado, Reginaldo Araújo e outros.

Num dos trechos da APRESENTAÇÃO, o escritor e acadêmico José do Couto Vieira Pontes afirma: “Na verdade, o novo livro de Rubenio Marcelo evidencia incontestável maturidade poética, ao colher, no jardim das musas, as florações originais, num processo saturado de beleza, harmonia e emocionantes mensagens.”

Num trecho do PREFÁCIO do livro, o poeta Astenio Fernandes assim se expressa: “Admiro a poesia de Rubenio Marcelo, porque ela exercita a fé e a crença de quem registra caminhadas e emoções, deixando pegadas de seus pés firmes no chão de seu mundo.

Dos sonetos desse livro de Rubenio, destaco o VOO DE POLENS que diz:

Voo de Polens
Rubenio Marcelo

Que se fecundem corações e mentes
e fortemente pulsem horizontes
em novas fontes grávidas de voos
buscando os ventos ou os flamboyants...

Em tons vibrantes, ritos plasmam céus,
descobrem véus e polinizam flamas:
são anagramas dos meus ideais
e os madrigais que flertam minha voz ...

De fora em foz, os meus diversos portos
vislumbram hortos, saem das vindimas
em férteis ímãs de sublimações...

Que as florações insones sejam cantos
e que estes tantos versos resolutos
concebam frutos doces como o sonho !


 

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui