Usina de Letras
Usina de Letras
19 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 61958 )

Cartas ( 21333)

Contos (13252)

Cordel (10444)

Cronicas (22531)

Discursos (3235)

Ensaios - (10261)

Erótico (13560)

Frases (50370)

Humor (19994)

Infantil (5390)

Infanto Juvenil (4724)

Letras de Música (5465)

Peça de Teatro (1375)

Poesias (140716)

Redação (3290)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2435)

Textos Jurídicos (1956)

Textos Religiosos/Sermões (6141)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Poesias-->Morte -- 26/07/2003 - 00:54 (A A Livro Pálida Sombra) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Ilusão amanhece

ó aurora,

sonho entristece

orvalho que chora.



Nos primeiros raios solares

voltam a tumba,

os anjos tumulares

antes que sucumba.



Sol fuzila a pele

esturricada,

cinza expele

já podre e ressecada.



Andando despedaçado

muito só,

caindo esfarelado

virando pó.



Escuridão do fim

doce treva,

luz apagou enfim

sombra me leva.



EZIDIO ALVES



Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui