Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
100 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57395 )
Cartas ( 21182)
Contos (12616)
Cordel (10141)
Crônicas (22260)
Discursos (3139)
Ensaios - (9065)
Erótico (13414)
Frases (44153)
Humor (18595)
Infantil (3853)
Infanto Juvenil (2804)
Letras de Música (5476)
Peça de Teatro (1320)
Poesias (138563)
Redação (2942)
Roteiro de Filme ou Novela (1055)
Teses / Monologos (2409)
Textos Jurídicos (1926)
Textos Religiosos/Sermões (4945)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->Nossa Equação -- 25/07/2006 - 20:25 (MARIA CRISTINA DOBAL CAMPIGLIA) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
(Na linguagem dele)



Entre minutos e problemas, dilemas,

Equaciono para ver como ficam as coisas,

As nossas coisas.

De repente - na madrugada-

Vejo que não ficam. Não ficam nunca!

Elas passam.

Arrancam tudo, como furacão.

A calma, o estável pensamento.

O planejamento com sua bengala.

E pintam a normalidade de arte moderna.



Numa rápida revisão de variáveis,

Tentando ficar fixa,

Tomo as decisões racionais e equivalentes.

Peço aos planos suas bengalas

E construo com elas uma jaula.

No arrebato da loucura, viro aço,

Fico fria, abandono.

Mas a incógnita é mais viva .

Na virada de uma curva, sinto o gráfico.

Arremato no eu te amo o tal problema.



E desmancho, novamente, no dilema.





Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui