Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
101 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57528 )
Cartas ( 21184)
Contos (12627)
Cordel (10183)
Crônicas (22288)
Discursos (3141)
Ensaios - (9091)
Erótico (13416)
Frases (44308)
Humor (18625)
Infantil (3910)
Infanto Juvenil (2856)
Letras de Música (5479)
Peça de Teatro (1320)
Poesias (138251)
Redação (2948)
Roteiro de Filme ou Novela (1056)
Teses / Monologos (2412)
Textos Jurídicos (1926)
Textos Religiosos/Sermões (4989)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->Pendências -- 15/07/2006 - 23:18 (MARIA CRISTINA DOBAL CAMPIGLIA) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos


Pendências





Quando nasce um sentimento pendurado

Como se fosse um pobre retângulo de papel, sozinho,

Mal trapilho e desordenado - mas vibrante,

Como o peito de um soldado em guerra,

É preciso atendê-lo.



Não quisemos - eu e meu coração-

Que voasse feito pássaro ao vento

E esquecido se deitasse como anjo,

No quintal das emoções estrangeiras.

Outro ser, outra pessoa - com suas queixas e penumbras.;

Sem saber de onde veio, ou para quê...

Recolhemos seu pedaço e o acolhemos, fazendo renda

Como se fosse assim, tão fácil,

Descobrir onde nascera...

Por quê?

Por que tecera na secreta corda bamba de um pensamento qualquer

Todo o mistério do sangue que carrega e escorrega,

E me deixa atônita e perplexa, perguntando

Sem saber o que fazer com a sua alma

De pássaro rasante, de vôo que anuncia,

Em desespero:

Que muitos outros sentimentos virão sem avisar,

Retangulares, amorfos e incompletos, desconhecidos,

Mortos e vivos

Dilacerando os pensamentos que nada sabem

Sobre corações.





Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui