Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
112 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57395 )
Cartas ( 21182)
Contos (12616)
Cordel (10141)
Crônicas (22260)
Discursos (3139)
Ensaios - (9065)
Erótico (13414)
Frases (44153)
Humor (18595)
Infantil (3853)
Infanto Juvenil (2804)
Letras de Música (5476)
Peça de Teatro (1320)
Poesias (138563)
Redação (2942)
Roteiro de Filme ou Novela (1055)
Teses / Monologos (2409)
Textos Jurídicos (1926)
Textos Religiosos/Sermões (4945)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->Alfinete -- 14/07/2006 - 13:43 (MARIA CRISTINA DOBAL CAMPIGLIA) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos


Alfinete



Você viu o que fiz.

Na verdade, o autor foi você.

Entre os turbilhões de emoção

tentei resgatar com brio aquelas sementes ardentes

que conquistamos a dois.



Tênue, a penumbra tornando incerto

o caminho até o coração,

prendi com alfinete em fogo

meu olhar às tuas pegadas

ainda recentes na areia, como pedindo perdão...



Você voou como raio e se perdeu na atmosfera

e a mim : quem pudera!

Que me indicara o caminho sem mais afronta que a falta, mas...

Nada disso!

Tudo mentira.



Se por acaso verdade,

muito volátil e curta!

Como esse raio que armaste.

Sem alfinete nem fogo

nem coração nem pegadas!



Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui