Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
106 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57036 )
Cartas ( 21169)
Contos (12596)
Cordel (10077)
Crônicas (22197)
Discursos (3134)
Ensaios - (8999)
Erótico (13395)
Frases (43631)
Humor (18454)
Infantil (3772)
Infanto Juvenil (2686)
Letras de Música (5470)
Peça de Teatro (1316)
Poesias (138231)
Redação (2924)
Roteiro de Filme ou Novela (1055)
Teses / Monologos (2400)
Textos Jurídicos (1925)
Textos Religiosos/Sermões (4851)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->Deserto -- 14/07/2006 - 13:20 (MARIA CRISTINA DOBAL CAMPIGLIA) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Deserto



Encosta-se a aridez nas entrelinhas da existência

e entre prédios e barulhos, confirmo a vida

ressecada de afeto.



Procurar uma centelha, algo que brilhe no escuro.

Na clareza do dia, um fogo amigo que amenize a poeira seca.

As vidas que esbarram nos limites do corpo,

mentindo coerência e acertando no peito,

tentando resgatar o hálito e a voz,

pendem do arame da cidade onde acelero os passos.



Ninguém conheço.

Ninguém responde.

Ninguém presente neste enorme circo, cheio de gente de caras históricas .



Deslizando em pânico pelas calçadas cinzentas

não abraço ninguém no deserto cível

e não pretendo cometas no céu gritante.

Encosta-se o brilho nos degraus pisados como se o sol reinasse,

Como se fosse possível juntar pessoas com corações ferventes

Cheias de vida.



O cortante fio dos prédios gigantes e as ruas largas,

se não mais machucasse,

se fizesse frio, ou calor, ou primavera.;



Se este pânico deslizante e cheio de gente

como pássaros alvoroçados que perderam o rumo-

Se este pânico se convertesse em arco – íris e brilhasse,e mostrasse,

e fizesse de suas cores a sintonia à minha alma triste-

seria a possibilidade de resgatar tua presença,

e eu, inteira : sobreviver. A esta cidade, de ti deserta.

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 1Exibido 395 vezesFale com o autor