Usina de Letras
                                                                         
Usina de Letras
34 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59040 )

Cartas ( 21234)

Contos (13080)

Cordel (10287)

Crônicas (22188)

Discursos (3163)

Ensaios - (9402)

Erótico (13483)

Frases (46385)

Humor (19249)

Infantil (4423)

Infanto Juvenil (3673)

Letras de Música (5476)

Peça de Teatro (1335)

Poesias (138140)

Redação (3049)

Roteiro de Filme ou Novela (1060)

Teses / Monologos (2425)

Textos Jurídicos (1944)

Textos Religiosos/Sermões (5495)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Cordel-->SEARA DE SONHOS -- 23/07/2011 - 20:53 (Andarilho) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Número do Registro de Direito Autoral:131160146531504300

SEARA DE SONHOS
Silva Filho




Sou criança, sou do campo
Pra você - sou camponês
Na cidade eu sou estranho
Lá só vou de quando em vez
Sou da roça, não me acanho
Vou crescendo a cada mês.

O progresso está presente
Assim como o crescimento
Meu futuro está na mente
Sou esperto, sou atento
Na roça planto a semente
Das lições colho provento.

Valorizo a agricultura
Como fonte de sustento
Trabalhar não traz agrura
Na verdade é um alento
Mas desejo u’a formatura
Sendo este o meu intento.

Só lamento as agressões
Atingindo a natureza
Com verdadeiras lesões
Contra quem é indefesa
Quantas pulverizações
E o veneno em nossa mesa.

Agrotóxicos, herbicidas
São produtos mui letais
E a natureza ofendida
Não se cura nunca mais
Deixando grave ferida
Nos pulmões dos arrozais.

Inda falta u’a consciência
Em quem deve preservar
A nossa sobrevivência
Sem o ambiente matar
Você doutor, Excelência
Venha aqui nos ajudar.

No meu roçado, não há
Uma rua, uma avenida
Mas também não vai tardar
Que se tenha uma corrida
Logo alguém vai lotear
Meu roçado, minha vida.

Começa com uma vila
E a modesta arruação
Piso bruto, só argila
Não tem pavimentação
Mas logo aqui vai ter fila
Vai também ter eleição.

No momento, tudo é festa
Pois é tempo de colheita
É verdadeira seresta
Pro sucesso da empreita
Agradecer - é o que resta
Deus faz a coisa bem feita.

Não há qualquer empecilho
Pra tolher um cidadão
Bastando ser persistente
Na chance de formação
Porque demérito não há
Pra quem nasceu no Sertão.


/aasf/

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 1Exibido 193 vezesFale com o autor