Usina de Letras
                                                                         
Usina de Letras
204 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59120 )

Cartas ( 21236)

Contos (13110)

Cordel (10292)

Crônicas (22195)

Discursos (3164)

Ensaios - (9437)

Erótico (13481)

Frases (46507)

Humor (19274)

Infantil (4457)

Infanto Juvenil (3722)

Letras de Música (5478)

Peça de Teatro (1337)

Poesias (138224)

Redação (3054)

Roteiro de Filme ou Novela (1060)

Teses / Monologos (2427)

Textos Jurídicos (1945)

Textos Religiosos/Sermões (5522)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Crônicas-->ESTEIRA HUMANA-LOURIVAL F.SODRÉ -- 10/11/2003 - 17:30 (Leinecy Pereira Dorneles) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
. ESTEIRA HUMANA

Estou no meio do povo, aguardando. A individualidade se perde no contágio com a multidão impaciente que permanece em silêncio. O dia sem pressa ou objetivo resolve estancar no seu trecho mais quente. Nem sei quantas horas estou aqui na rua. Três, quatro?... Muita gente ainda chega e se aperta, ocupando os últimos espaços vazios. A tarde e a calma aparente também se revestem de silêncio, mesmo sendo impossível acreditar na existência de algum silêncio no meio de tanta gente. Observo em cada rosto, em cada olhar, gesto, a inquietação contida, sufocada. O povo mal consegue esconder o grito que não pode ser dado. De início a harmonia se transforma e o lento murmúrio ou ruído se expande até dominar as pessoas e o espaço.Não há atitudes definidas a se ver ou ouvir, que tenha sentido ou lógica. Há um princípio de som e dúvida em cada olhar expressivo ou agitado. Nem sei porque ou se tudo isso está realmente acontecendo..."
( Lourival Farias Sodré-Invasões a Inocência)
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui