Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
95 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57094 )
Cartas ( 21170)
Contos (12595)
Cordel (10090)
Crônicas (22210)
Discursos (3136)
Ensaios - (9014)
Erótico (13401)
Frases (43740)
Humor (18478)
Infantil (3788)
Infanto Juvenil (2712)
Letras de Música (5470)
Peça de Teatro (1317)
Poesias (138304)
Redação (2926)
Roteiro de Filme ou Novela (1055)
Teses / Monologos (2401)
Textos Jurídicos (1925)
Textos Religiosos/Sermões (4886)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->ROMÂNTICAS SOLIDÕES -- 23/01/2006 - 21:45 (João Ferreira) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos


ROMÂNTICAS SOLIDÕES

Jan Muá

23 de janeiro de 2003







O átrio é agradável e glamouroso

Os raios de sol invadem espaços batendo nas lajes

E os intervalos são avançadas criações do design



Há objetos em aço e metal branco

A burguesia sobe e desce a escada rolante

Encantada com o flamejante anúncio

De “preços imperdíveis”!



No folclore da moda

Sobressaem ricas roupas femininas

Vestidas por modelos em ação no shopping!



Aos meus olhos acende-se a figura cigana

da quarentona elegante que sabe vestir

Com refinado gosto

Linhas leves de modelos da estação de verão



No bar há o perfume do café-expresso

E folhados de frango servidos

Pela moreninha do balcão



Há sucos de frutas tropicais

E no recanto a tranquilidade romântica

Tão apreciada pelos solteirões

Que gostam de curtir no bafo da liberdade

Os instantes livres

Longe da espionagem de parceiros ciumentos!



As mesas redondas em mármore branco

São assistidas por cadeiras retas

Adaptadas ao desejo da espinha dorsal!



As mercadorias da vitrine

Ficam mais luminosas quando bafejadas

pela música quase rouca que vem dos longes do prédio!



A deusa está agora sentada num banco artesanal de madeira

E de longe seu perfil e sua roupa compõem a moldura fidalga

De uma nobre figura feminina



No entrelaçado da vida nasce no ar um apelo romântico

Misturado aos protocolos de leitura

Deste frequentado casarão

Que também gosta de exposições

De românticas solidões.



Jan Muá

23 de janeiro de 2003.

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 74Exibido 520 vezesFale com o autor