Usina de Letras
                                                                         
Usina de Letras
51 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59106 )

Cartas ( 21236)

Contos (13107)

Cordel (10292)

Crônicas (22195)

Discursos (3164)

Ensaios - (9434)

Erótico (13481)

Frases (46493)

Humor (19273)

Infantil (4456)

Infanto Juvenil (3718)

Letras de Música (5478)

Peça de Teatro (1337)

Poesias (138218)

Redação (3051)

Roteiro de Filme ou Novela (1060)

Teses / Monologos (2427)

Textos Jurídicos (1945)

Textos Religiosos/Sermões (5518)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->Preconceito, Inimigo da Paz -- 22/11/2005 - 16:28 (Domingos Oliveira Medeiros) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
.




“A paz é cor-dialidade quando as pessoas e a sociedade conseguem transformar as relações existentes de discriminação e de dominação em relações de inclusão e de participação eqüitativa”. (Leonardo Boff, “A Oração de São Francisco – Uma mensagem de Paz para o mundo atual” – sexta edição – Ed. Sextante - pág. 54).



PRECONCEITO, INIMIGO DA PAZ

(Por Domingos Oliveira Medeiros)



Não há razão para o preconceito,

seja de que tipo for, não faz sentido.

Vai de encontro ao viver em paz, ao verdadeiro amor.

Não tem futuro garantido.



Nos bolsos dos amigos estão meus tesouros,

Alexandre Magno, assim dizia, ao partir para a eternidade.

Amigos, somos todos os que cativam as virtudes

da fé, da caridade, do amor, da fraternidade...



Alguém sabe a cor da amabilidade?

Do gesto acolhedor, do otimismo e da alegria?

Do amor ao próximo, de verdade?



Da gratidão, por um ato generoso recebido?

A cor da boa convivência entre nós humanos

é uma só: a cor invisível do sentimento,

no espelho do fundo do peito refletido.



Sinceridade e nobreza na ponderação do juízo.

Cristo, perfeito Deus e perfeito homem, deixou-nos exemplos

de um conjunto de virtudes que devem ser vivenciadas

por nós mesmos, e entre nossos semelhantes.



....................



São Paulo, também, exorta-nos a viver as virtudes humanas, quando escreve a Tito:



“(...) que estejam prontos para toda a boa obra.; que não falem mal de ninguém nem sejam questionadores.; que sejam afáveis e mostrem uma perfeita mansidão para com todos os homens”. (Trecho retirado do livro “Falar Com Deus – Meditações para cada dia do ano” – Volume 5, Ed. Quadrante – São Paulo – 1999.









Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui