Usina de Letras
                                                                         
Usina de Letras
163 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59061 )

Cartas ( 21235)

Contos (13084)

Cordel (10287)

Crônicas (22192)

Discursos (3163)

Ensaios - (9412)

Erótico (13484)

Frases (46425)

Humor (19256)

Infantil (4428)

Infanto Juvenil (3686)

Letras de Música (5476)

Peça de Teatro (1336)

Poesias (138178)

Redação (3049)

Roteiro de Filme ou Novela (1060)

Teses / Monologos (2427)

Textos Jurídicos (1945)

Textos Religiosos/Sermões (5503)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Cordel-->FALANDO DE PERIQUITO -- 28/10/2008 - 18:55 (Andarilho) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Número do Registro de Direito Autoral:131197869698352400
FALANDO DE PERIQUITO
Silva Filho

Na vastidão dessa língua
Periquito é um bicho
Que perdendo o seu nicho
Está morrendo à míngua.
Não é um caso de íngua
Mas é questão de delito
Portanto deixo escrito
Em tom de reprovação
Por causa da extinção
Ninguém vê um periquito.

Há quem queira ter em casa
Pra passar a mão no bicho
E assim faz por capricho
Com mentalidade rasa.
Isso é brincar com brasa
Ou querer ganhar no grito
Meu recado tenho dito
Contra a devastação
Por causa da extinção
Ninguém vê um periquito.

Se você que é poeta
Também gosta desse bicho
Não mantenha em cochicho
O que tem de boa meta.
É questão que nos afeta
Pois o mundo está aflito
Com esse macabro rito
Que deixa o homem na mão
Por causa da extinção
Ninguém vê um periquito.

/aasf/
MOTE E GLOSA: Silva Filho



Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 1Exibido 630 vezesFale com o autor