Usina de Letras
                                                                         
Usina de Letras
110 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59051 )

Cartas ( 21235)

Contos (13079)

Cordel (10287)

Crônicas (22189)

Discursos (3163)

Ensaios - (9406)

Erótico (13483)

Frases (46405)

Humor (19251)

Infantil (4424)

Infanto Juvenil (3679)

Letras de Música (5476)

Peça de Teatro (1336)

Poesias (138156)

Redação (3049)

Roteiro de Filme ou Novela (1060)

Teses / Monologos (2427)

Textos Jurídicos (1945)

Textos Religiosos/Sermões (5502)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->ABISMO DE ROSAS -- 25/05/2005 - 09:33 (Andarilho) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
.



ABISMO DE ROSAS

Silva Filho





Quedou-me a sedução

Da rosa imarcescível

Quando abriu o seu botão

Exibindo seu condão

Com o cheiro de vertigem.



Aconteceu no vergel

Onde me fiz natureza

Sorvendo toda a beleza

Disseminando o mel

Foi quando a rosa encantada

Piscou-me inebriada

Fazendo tremer o céu.



Fitei aquela beldade

Que me chegou sorrateira

Uma rosa de verdade

(Bem modelada em carne)

Desabrochada, inteira.



E o seu botão em delírio

De resplendor descoberto

Continuava aberto

Convidativo, desperto

Qual verdadeiro colírio.



Pousei naquele botão

Cambiando energia

Dentro da bifurcação

Enquanto me derretia.;

E nesse abismo de rosas

Já posso fazer juízo:

O prazer já não se dosa

Nas raias dum paraíso.





/aasf/



Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 1Exibido 473 vezesFale com o autor