Usina de Letras
Usina de Letras
22 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 61956 )

Cartas ( 21333)

Contos (13252)

Cordel (10444)

Cronicas (22529)

Discursos (3235)

Ensaios - (10258)

Erótico (13560)

Frases (50363)

Humor (19994)

Infantil (5388)

Infanto Juvenil (4724)

Letras de Música (5465)

Peça de Teatro (1375)

Poesias (140713)

Redação (3290)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2435)

Textos Jurídicos (1956)

Textos Religiosos/Sermões (6141)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Poesias-->Sentido -- 14/05/2005 - 22:31 (Arthur Colaço Pires de Andrade) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
e com um verso fiz seu nome

regozijei e dei-lhe vida sofrida em seios uniformes

a cada híbrida esperança de ver-lhe puntiforme

foi-me a significância de ter-lhe além do nome.



nunca fora nomeada, nunca houve apelido

[pra contar a meio mundo o formoso passageiro do que [é o que é e não tem nome algum.

a flagrar meio segundo de horroroso duradeiro do que [belo que não é e não foi em tempo algum,

vejo agora o que não enxergo ... desgarrei-me do [apelido.



nesses versos sem sentido

descensuro todo o mundo pois sou eu quem crio a [fundo esta moção de meu desejo.

esconjuro lodo fecundo dois liceus que rio do mundo [fez moção no seu pensejo.

e agora ria ria e entenda, use do sentido, aprenda [... o apelido ... do sentido ...
Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui