Usina de Letras
                                                                         
Usina de Letras
88 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59061 )

Cartas ( 21235)

Contos (13084)

Cordel (10287)

Crônicas (22192)

Discursos (3163)

Ensaios - (9412)

Erótico (13484)

Frases (46426)

Humor (19256)

Infantil (4428)

Infanto Juvenil (3686)

Letras de Música (5476)

Peça de Teatro (1336)

Poesias (138178)

Redação (3049)

Roteiro de Filme ou Novela (1060)

Teses / Monologos (2427)

Textos Jurídicos (1945)

Textos Religiosos/Sermões (5503)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->ALGEMA -- 04/04/2005 - 10:24 (Andarilho) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
.





ALGEMA

Silva Filho



Tampouco me detenho em reticências

Se há muito me perdi nesse oceano

Ao vento sempre digo que Te Amo

Ao mundo agora faço a inconfidência.



Há sempre um repisar de desencontros

Na esteira desses dúbios cruzamentos

Quedei-me aguardando um testamento

Que a mim reservaria o teu encanto.



Já é tempo de premer por alforria

Se a força do amor rompe os grilhões

Na areia são sepultos os senões

Meu peito não comporta as abulias.



Em versos me impus disritmias

Ao extremo fiz bater meu coração

O amor me adotou por vocação

E alguém ignorou rara franquia.



Que seja doravante bem cuidado

O mor anfitrião dos sentimentos

Não há porque faltar o condimento

Tempero da loucura e do pecado.



Se o amor, qual inflamável, reacende

Sem mesmo consultar a combustão

A chama que nos queima o coração

É algema... ou o elo que nos prende.



aasf.





Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 1Exibido 423 vezesFale com o autor