Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
104 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57529 )
Cartas ( 21184)
Contos (12629)
Cordel (10184)
Crônicas (22291)
Discursos (3141)
Ensaios - (9091)
Erótico (13416)
Frases (44312)
Humor (18626)
Infantil (3910)
Infanto Juvenil (2857)
Letras de Música (5479)
Peça de Teatro (1320)
Poesias (138254)
Redação (2948)
Roteiro de Filme ou Novela (1056)
Teses / Monologos (2412)
Textos Jurídicos (1926)
Textos Religiosos/Sermões (4989)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->Queda -- 20/02/2005 - 16:35 (Lorde Kalidus) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Senhor, me diga onde jaz minha alma

pois tornei a fazer o que era minha vontade

que, como disse o pregador, é apenas vaidade

prazer que, por pouco tempo, consola e acalma



Não sou incauto ou mesmo ignorante

noque diz respeito à Tua palavra

verdade que a descrença do ímpio não abala

ainda que te desafie de forma aberta e constante



Mas quando o anjo mau cujo objetivo

é negar Tua majestade e existência

voltou a sussurrar no meu ouvido



Tornei a abrir os braços e saudar

as delícias temporárias que o corpo venera

e que irritam Àquele em quem tenho crido.



06 de fevereiro de 2005
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 1Exibido 256 vezesFale com o autor