Usina de Letras
Usina de Letras
116 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 62161 )

Cartas ( 21334)

Contos (13260)

Cordel (10449)

Cronicas (22530)

Discursos (3238)

Ensaios - (10347)

Erótico (13567)

Frases (50573)

Humor (20027)

Infantil (5422)

Infanto Juvenil (4752)

Letras de Música (5465)

Peça de Teatro (1376)

Poesias (140790)

Redação (3302)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2435)

Textos Jurídicos (1959)

Textos Religiosos/Sermões (6182)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Cordel-->TIBÊI E O VIAGRA -- 28/08/2007 - 09:18 (ZÉ CEARÁ) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Tibêi, um Caba da peste
Lá das banda das Porteira
Um dia de Sexta-feira
Resolveu fazer um teste

Tendo visto e escutado
Qui andô lá na cidade
Prá sua filicidade
Um Médico recém-formado

Dois Viagra Incumendô
Na venda de João Tutu
Qui trouxe do Iguatu
Por mandado do Dotô

O matuto aperriado
Cum seu Jejum de Muié
Foi logo fincando o pé
Tumô dum gole o danado

A bicha deu um puxão
De um pulo se alevantou
E Tibei logo aprovou
Que aquele bicho era bão

Trocou logo de calção
Butô um shorte apertado
E desceu lá pro mercado
Prá venda de Mané João

Tumô mais duas lapada
Se lascô na Carraspana
Desceu mei lito de Cana
E saiu na disparada

Saiu atrás de muié
Foi pro Brejo e prá Cancela
Barriguda e na Pinguela
E os documento de pé

Incontrô sua muié
Deu uma, duas e deu três
E inté no final do mês
A bicha tava de pé

Tibêi saiu sastisfeito
O negócio era primeira
Comprô mais cinco na feira
Passô na caixa dos peito

Lá no ispelho a olhá
A bicha chega brilhava
A Viagra dominava
E o matuto a matutá

Tibêi lá no mei da feira
E a bicha sem baixá
Foi as calça arriá
Prá mostrá a bagaceira

Lá no Sul do Ceará
Foi prás banda do Juazeiro
Cum vergonha dos romeiro
O negócio a balançá

Dizem qui a bicha baxô
Passô o mês de abril
Só no mês de mai subiu
Por obra dum rezadô

Essa história anda espaiando
Lá prás banda do sertão
E o povo já tá andando
Chei de Viagra na mão

E Eu aqui me despeço
Porquê o sol já sumiu
Coloquei em rima e verso
A história que surgiu

Tibêi tumô dois Viagra
Muntou num Bode e subiu
Gunvernô por trinta hora
Deu a lexéia e caiu
Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui