Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
11 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57389 )
Cartas ( 21182)
Contos (12609)
Cordel (10139)
Crônicas (22258)
Discursos (3139)
Ensaios - (9064)
Erótico (13414)
Frases (44151)
Humor (18587)
Infantil (3849)
Infanto Juvenil (2804)
Letras de Música (5476)
Peça de Teatro (1320)
Poesias (138551)
Redação (2942)
Roteiro de Filme ou Novela (1055)
Teses / Monologos (2408)
Textos Jurídicos (1926)
Textos Religiosos/Sermões (4944)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Contos-->Incesto -- 27/03/2004 - 15:39 (Marcelo de Oliveira Souza,IWA Instagram:marceloescritor) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
INCESTO



Sempre quando a via, estava a me fitar, quando eu passava na casa de representações olhava-me, o nome:Mariana, foi o que soube, quando tive a sorte de encontra-la em um Shopping da cidade, onde levou sua irmãzinha para passear encima de um dos bichinhos movido à moeda.Trocamos os números dos telefones e combinamos para sair ainda no próximo sábado.
Quando cheguei em casa de manhã, já havia recebido cinco telefonemas me procurando, pedindo para retornar a ligação quando chegasse, o que me animou ainda mais, para ir ao seu encontro.
Marcamos de ir a um barzinho bem calmo e bonito, para tomar algo e conhecermos melhor, assim começou o nosso namoro de uma semana, precisamente.
Tudo cheio de subterfúgio, ela morava perto de mim, estudava à tarde, onde eu ia pagá-la todo santo dia, dali, íamos a um jardim e pronto.
Depois de uma semana, ela não quis mais saber de mim, assim como começou o relacionamento, terminou, ao passo de um furacão.
Um ano depois, nos encontramos durante o aniversário de um parente em comum, pois o tio dela tinha um relacionamento com minha tia.
Quando cheguei lá na festa, não prestou, dei de cara com ela, que me fitou com seus olhos, e minha prima se encarregou de fazer o resto...
Começamos a namorar novamente, a partir daquele dia, ela me esclarecendo que tinha acontecido um mal entendido, pois a amiga dela era a fim de mim e inventou um monte de agrura sobre a minha pessoa, foi por isso que o pai dela, Rodolfo Roberto, me xingou todo quando liguei para ela.
Ao nos acertarmos, começamos de onde tinha terminado, fomos ao almoço no outro dia , do nosso parente, dali saímos para passear, onde ela falou que o tal do Rodolfo Roberto, tinha um ciúme danado dela, por isso ela não me chamava para ir à casa dela, e por sua vez a sua mãe tinha ciúme dele, que só queria saber de paquerar as colegas de colégio de Mariana.
A mãe brigava muito com ele, e por sua vez Mariana e sua irmã Clariana, sofriam muito com isso...
Achava um relacionamento muito estranho e tumultuado, o daquela família.
Assim como o namoro passado, o atual somente demorou uma semana, nem mais nem menos, ela inventou uma desculpa fajuta e me deu um chute, além disso ficamos sem nos falar até hoje, eu não sei nem o porquê.
O tempo foi passando, e eu me distanciando cada vez mais, indo morar no interior. Quando voltei um ano depois, vejo-a grávida, e soube do suicido que a mãe dela tinha praticado, atirando embaixo de um ônibus, pois, Diana, sua mãe, não suportou a decepção do pai dela ter engravidado a filha, em um caso de amor, sua irmã Clariana, fugiu com a empregada, não aceitando o fato também,terminando os dois sozinhos, mais o filhinho deles, que já está bastante crescidinho hoje, e o velho continua com a filha e permanece no mesmo lugar paquerando as garotas que transitam pelo local.

MARCELO DE OLIVEIRA SOUZA



marceloosouzasom@hotmail.com
Tel 71*91253586
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui