Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
9 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57504 )
Cartas ( 21184)
Contos (12607)
Cordel (10177)
Crônicas (22282)
Discursos (3141)
Ensaios - (9088)
Erótico (13416)
Frases (44276)
Humor (18618)
Infantil (3902)
Infanto Juvenil (2848)
Letras de Música (5479)
Peça de Teatro (1320)
Poesias (138230)
Redação (2946)
Roteiro de Filme ou Novela (1056)
Teses / Monologos (2411)
Textos Jurídicos (1926)
Textos Religiosos/Sermões (4981)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->Sepultura rasa -- 12/01/2005 - 11:43 (Lorde Kalidus) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
O amanhecer já veio e tornou a perecer

e a fome por você ainda rosna vitoriosa

avançando com a fúria daquela que goza

diante da morte de seu objeto de prazer



Quando fecho meus olhos você se despe

mas permanece longe de meus dedos

e, em contos de previsível desfecho

minha ânsia por seu corpo de nada te serve



Me torno, então, a sepultura rasa

que você diaria e assiduamente visita

com o frenesi de seus pés e seus risos



Você, por outro lado, é o ninho

onde o orgasmo imortal se renova

a cada nota que soa de meus gritos.



11 de janeiro de 2005
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 1Exibido 256 vezesFale com o autor