Usina de Letras
Usina de Letras
97 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 62141 )

Cartas ( 21334)

Contos (13260)

Cordel (10447)

Cronicas (22529)

Discursos (3238)

Ensaios - (10337)

Erótico (13566)

Frases (50548)

Humor (20020)

Infantil (5415)

Infanto Juvenil (4749)

Letras de Música (5465)

Peça de Teatro (1376)

Poesias (140778)

Redação (3301)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2435)

Textos Jurídicos (1958)

Textos Religiosos/Sermões (6172)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Poesias-->VERSOS ÍNTIMOS -- 31/01/2000 - 20:58 (antonio temoteo dos anjos sobrinho) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
VERSOS ÍNTIMOS








Eis uma fresta, a telha está quebrada,


lá fora o céu se expõe de azul preciso.


Cá dentro a escuridão pousa acoitada


entre as paredes e por sobre o piso.





Na escuridão da treva concentrada


o desalento ocorre de improviso,


encontra a mágoa infinda, vergastada


e a solidão deserta... que prejuízo!





Colado à cama negra e ao negro abismo


eis que diviso a fresta com clareza


enchendo-se de luz e magnetismo.





Um raio invade a treva de surpresa,


a luz dispersa a sombra, o ceticismo


e apaga a escuridão... com sutileza.


Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui