Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
134 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56711 )
Cartas ( 21128)
Contos (12517)
Cordel (9863)
Crônicas (21892)
Discursos (3121)
Ensaios - (10000)
Erótico (13200)
Frases (41694)
Humor (17749)
Infantil (3605)
Infanto Juvenil (2334)
Letras de Música (5448)
Peça de Teatro (1312)
Poesias (137071)
Redação (2886)
Roteiro de Filme ou Novela (1049)
Teses / Monologos (2381)
Textos Jurídicos (1917)
Textos Religiosos/Sermões (4520)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->Porque escreves, Doutor?_Raymundo Silveira/Poeta e Doutor_M -- 09/07/2004 - 13:05 (MARIA PETRONILHO) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos

Por Que Escreves, Doutor?
Raymundo Silveira

Por que escreves tanto, doutor,
Se teu ofício é aliviar a dor
Dos padecentes?
Se é uma quimera a tua profissão,
E mesmo assim cultivas tanto esta ilusão,
Que às vezes te sentes tão superior
Aos pacientes?

Por que escreves tanto, ó charlatão
Se a ti foi dada outra função
Tão diferente?
Se tua sina é enganar doentes
Perpetrando furto aos mais carentes
E a todos tapear
Prometendo uma cura que não há?

Por que escreves tanto, ó curandeiro?
Seria por sadismo ou por dinheiro,
Que tu escutas dos enfermos os ais,
Consolando falsamente aflitos pais
Com esta disfarçada hipocrisia,
Com a tua insensível alma fria?
O que tu queres mais?

Escrevo para abafar o pranto.;
Escrevo para afugentar o espanto,
Para fazer de conta que não vejo
O espelho a refletir meu desespero.;
Para fugir da angústia que me traz
O "corvo de Poe", o "Nunca Mais"
A grasnar todo tempo em meus umbrais.

Escrevo para iludir este tormento.;
Escrevo pra suportar o sofrimento
Que é viver eternamente a escutar
O gemido de todos nós representado
Em cada paciente de quem estou ao lado
(Sendo impotente a fim de evitar),
Até chegar a hora do último suspirar.

Escrevo apenas para me manter ativo,
Para espantar o ócio, o vício, o falso alívio.;
Escrevo para escapar da condição humana,
Pra sufocar no peito a dor tirana
Que me angustia e me atormenta.
Escrevo para encontrar um lenitivo.;
Escrevo, enfim, porque sem escrever não vivo!







Poeta e Doutor
Maria Petronilho



(a Raymundo Silveira)



Escolheste o caminho do amor

Escolheste transcender

A humilde condição de ser

Compassivo ao ajudar

Teu irmão a suportar

A desdita de sofrer

Escolheste não desviar

Da morte o doído olhar

E fazê-lo sem deixar

Tua alma se embotar



Vais mais além no sentir

Vais mais além no saber

ser

Poeta e Doutor!


Lisboa,8/7/2004




Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui