Usina de Letras
Usina de Letras
Usina de Letras
59 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

Artigos ( 53096 )
Cartas ( 21430)
Contos (12807)
Cordel (9244)
Crônicas (20445)
Discursos (3149)
Ensaios - (10267)
Erótico (21304)
Frases (43387)
Humor (21956)
Infantil (4504)
Infanto Juvenil (3265)
Letras de Música (5687)
Peça de Teatro (1371)
Poesias (139228)
Redação (2958)
Roteiro de Filme ou Novela (1092)
Teses / Monologos (2634)
Textos Jurídicos (2131)
Textos Religiosos/Sermões (4027)




= SERVIÇOS =
Patrocine um Autor
Vitrine
Copia CD
Facilidades para o QA
Nossa Proposta
Fale Conosco
Nota Legal
 




 
Busca | Placar | Assine/Renove | Quadro de Avisos: 1 2 | Ajuda | Autores | Central do Autor | Contato | Logoff
Serviços: Patrocine um Autor ou Texto | Vitrine | Cópia de seus Textos | | Publique seu E-BOOK|

Receba um aviso sempre que este autor publicar novos textos, clique aqui
Cordel-->LENDA DO SACI-PERERÊ -- 28/08/2005 - 18:53 (Benedito Generoso da Costa)
Patrocine esse Autor Patrocine esse Texto envie este texto para um amigoveja outros textos deste autor
Este autor concorda com o uso dos seus textos, desde que informem a autoria e o local da divulgação
LENDA DO SACI-PERERÊ

“Saci-Pererê duma perna só
Pitou no cachimbo da minha vó.”

Conta-se que no sertão,
Em noite de ventania,
Arrebentou-se um bambu
E dum seu gomo saía
Um molequinho pelado,
Negrinho e endiabrado,
Era o Saci que nascia.

Pulando numa só perna
Com o cachimbo na boca,
Seu negrume realçava
O vermelho de sua touca;
Montava em pêlo cavalos,
Saltando cercas e valos,
Numa correria louca.

Fazia trança nas crinas
E emaranhava os rabos,
Seu assobio nos campos,
Deixava os animais brabos;
Adentrando-se nas casas,
Do fogão espalhava brasas,
Assim aprontava os diabos.

O fogo ele assoprava
Faiscando num clarão,
Esturricava o arroz
E queimava o feijão;
A criançada fugia,
Quando ele ao vento fazia
Redemoinhos no chão.

Quem sobre o redemoinho
Lançasse uma peneira
De taquara trançada
Com uma cruz na esteira,
Prenderia o peraltinha,
Mas coragem ninguém tinha
Para agir dessa maneira.

Rezou-se aí uma novena
E o povo pediu urgente
Socorro a são Benedito,
Que atendeu prontamente;
Foi e achou o Saci rindo,
No sertão se divertindo
Às custas da pobre gente.

Censurou o santo em vão
O bagunceiro perneta
Para não fazer mais artes,
Porquanto ele fez careta
E, para maior espanto,
Zombou ainda do santo,
Dando uma pirueta.

O santo não perdoou
Tamanha desfaçatez,
Agarrando o Saci,
Vejam só o que ele fez:
Pendurou-o pela perna
Na entrada da caverna
E lá o deixou de vez.

Da estrada o transeunte
Escuta a voz do Saci,
Conforme o sertanejo,
De quem o caso eu ouvi,
Um dia, no meu passado,
Deixando-me assustado
Tanto que não esqueci.

Alguém que vai até lá
Na certa ouve o grito
Do Saci dependurado,
Que pede socorro aflito,
Bradando: - Ei, você aí,
Por favor, traga-me aqui
Meu amigo Benedito!

BENEDITO GENEROSO DA COSTA
benedito.costa@previdencia.gov.br
DIREITOS AUTORAIS RESERVADOS



Comentarios

Inclua  seu comentário                               

                                            

Nome:                               Mail:

 

                                              

CAPTCHA Image          

 

   breno  15/04/2013 09:49
legal    
   rainha  04/08/2012 13:13
otimo
   



De sua nota para este Texto             
Currículo do Autor Exibido: Contador disponível só para assinantes - Assine Aqui
 
Receba um aviso sempre que este autor publicar novos textos, clique aqui
Patrocine esse Autor Patrocine esse Texto envie este texto para um amigoveja outros textos deste autor





VITRINA DE E-BOOKS
OS PROBLEMAS DO PAÍS E A FALTA DE ATITUDE DOS POLÍTICOS
Nilza Paiva
SESMARIA DE OUTONO
José Ernesto Kappel
O SEQUESTRO DO DEPUTADO
Djalma Ferreira
VITRINA DE LIVROS IMPRESSOS
HISTÓRIAS QUE CONTAVA PARA O MEU NETO
Maria Hilda de J. Alão
FUTEBOL TAMBÉM É COISA DE MULHER
Maria Teresa Innecco Corrêas
Dona Joaquina do Pompéu-Sua História e a sua Gente
Deusdedit P.R. Campos
BACABA II - TODA A VERDADE SOBRE A GUERRILHA DO ARAGUAIA E A REVOLUÇÃO DE 1964
José Vargas Jiménez
Estação Jugular - Uma estrada para Van Gogh
Allan Pitz
Estação Poética - Jandira Costa
Ana Carolin
Lina e Lero e o Castelo Mágico - Lina et Lero et le Château Magique
Ana Carolina Vieira
Kôra: o pressentimento do dragão
Ana Flávia Abreu
Humor Vermelho - vol. 2
org. por Barbara Cassará
Humor Vermelho - vol. 1
Isabella Saes
Ninguém quer comer meu ovo
Chef Batato (Barbara Cassará, Tatiana Berlim e Tomaz Adour)
VERTIGEM LUNAR
Fernando Pellisoli
A Última Entrevista de José Saramago
José Rodrigues dos Santos
Seu Adolpho
Felipe Pena
O Melhor da Pior Parte
JBruno Graciano
Contente em Ler - Cineastas – Volume I
Varios Cineastas
Divulgue seu livro