Usina de Letras
Usina de Letras
   
                    
Usina de Letras
98 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 55065 )
Cartas ( 21063)
Contos (12134)
Cordel (9570)
Crônicas (21231)
Discursos (3108)
Ensaios - (9913)
Erótico (13137)
Frases (39994)
Humor (17551)
Infantil (3565)
Infanto Juvenil (2309)
Letras de Música (5414)
Peça de Teatro (1311)
Poesias (135739)
Redação (2875)
Roteiro de Filme ou Novela (1035)
Teses / Monologos (2374)
Textos Jurídicos (1913)
Textos Religiosos/Sermões (4207)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias -->Colibri -- 28/11/2003 - 00:27 (Clarissa Borba Batista Macedo de Azevedo) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Colibri fez o ar da graça ao viver
Transformou em asas o que era música
Limitou o universo ao seu conhecer
Tornou a escuridão uma fantasia lúcida.

Desfez as amarras que o tempo traz
Num inefável timbre de alegria
Foi arco-íris, garoto tenaz
Misturou-se ao sabor da harmonia.

Subiu aos patamares da pureza
Fitou o vento de suas estações
Deliciou-se ao brincar de certeza.

Colibri não é mágico, morreu.
Descansou como a noite à luz do dia.
Mas colibri voou, colibri viveu!

1997
Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui