Usina de Letras
Usina de Letras
   
                    
Usina de Letras
90 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 54856 )
Cartas ( 21056)
Contos (12110)
Cordel (9512)
Crônicas (21088)
Discursos (3105)
Ensaios - (9906)
Erótico (13127)
Frases (39810)
Humor (17550)
Infantil (3558)
Infanto Juvenil (2308)
Letras de Música (5411)
Peça de Teatro (1311)
Poesias (135538)
Redação (2869)
Roteiro de Filme ou Novela (1034)
Teses / Monologos (2372)
Textos Jurídicos (1913)
Textos Religiosos/Sermões (4175)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias -->Sem -- 13/07/2003 - 13:14 (Clarissa Borba Batista Macedo de Azevedo) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Nada mais cresce.
Nada jamais cresceu.
Nada já é a minha prece
Depois de tanto esforço meu.

Dói-me muito a cabeça,
Lateja, e o peito urra,
No anseio de que eu esqueça
Desta procura tão burra.

Eu não nasci para isso.
Procurar feito louca.
Mera prata em que toca o guiso
Caixa vazia, concha oca.

Já me sei estátua, imagem,
Simulacro do que sou
Do que acho ser, mensagem
Que passa pela vida como quem não passou.

Eu sou sem
Eu sou o sem
Eu vivo só
Eu vivo com ninguém.

21/06/2003
Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui