Usina de Letras
Usina de Letras
   
                    
Usina de Letras
105 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 55060 )
Cartas ( 21063)
Contos (12134)
Cordel (9565)
Crônicas (21229)
Discursos (3108)
Ensaios - (9913)
Erótico (13135)
Frases (39987)
Humor (17551)
Infantil (3562)
Infanto Juvenil (2309)
Letras de Música (5414)
Peça de Teatro (1311)
Poesias (135730)
Redação (2875)
Roteiro de Filme ou Novela (1035)
Teses / Monologos (2374)
Textos Jurídicos (1913)
Textos Religiosos/Sermões (4205)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Letras_de_Música-->FADO -- 19/11/2009 - 09:35 (Armando A. C. Garcia) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos

FADO

Não há português que não diga,
Sentir saudades do fado
Ir lá, na Lisboa antiga
Ouvir o som bem trinado
Duma guitarra a chorar

Poetas nesta Lisboa
Que é capital do fado
Fadistas cantam à toa
E em versos dão o recado
Numa guitarra a trinar

Arte, fama e riqueza
No manto d’uma saudade
Moram além da tristeza,
Tormentos e tempestade
Quando o fado está a cantar

Nenhuma alma resiste
Às influências do fado
No som dolente e triste
Nas facetas é mostrado
O teor do lupanar

Não há português que não sinta,
No trinar de uma guitarra
Onde a fadista retinta
Nos acordes se amarra
E faz a Alfama chorar !

São Paulo, 19/11/2009
Armando A. C. Garcia

Visite meu blog: http://brisadapoesia.blogspot.com 

Comentários

O que você achou deste texto?       Nome:     Mail:    

Comente: 
Informe o código de segurança:          CAPTCHA Image                              

De sua nota para este Texto Perfil do Autor Seguidores: 12Exibido 723 vezesFale com o autor