Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
81 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56428 )
Cartas ( 21156)
Contos (12574)
Cordel (9961)
Crônicas (22082)
Discursos (3130)
Ensaios - (8871)
Erótico (13328)
Frases (42863)
Humor (18224)
Infantil (3700)
Infanto Juvenil (2514)
Letras de Música (5461)
Peça de Teatro (1315)
Poesias (137722)
Redação (2905)
Roteiro de Filme ou Novela (1051)
Teses / Monologos (2384)
Textos Jurídicos (1918)
Textos Religiosos/Sermões (4608)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Artigos-->Dom Lucas e Uzi Gal -- 23/10/2013 - 12:34 (Brazílio) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Passou quase despercebida a morte do Cardeal Dom Lucas, que nos últimos anos



vinha ocupando altas funções no Vaticano, ainda que com a saúde já em avançado



processo de debilitação.



E nem a "imortalidade" que lhe garantira a Academia Brasileira de Letras foi suficiente



para ao menos retardar sua passagem para a eternidade. É inexorável, chegando a



hora, não há como cair fora. Nem estando ao lado do Papa.



Mais para conservador do que para conversador, Dom Lucas teve uma carreira



eclesiástica cintilante, de que o seu manto de purpurado foi ponto culminante. Feito o



primo Tancredo, aquele menino humilde de São João d`El Rei destacou-se numa vida



de dedicação e de serviço à causa que abraçou.



Detalhe que me surpreendeu, no entanto, foi ler seu obituário publicado pelo



International Herald Tribune, jornal de cobertura universal, coincidentemente ao lado



de um tal de Uzi Gal.



Pois bem, desse Uzi Gal, tece o IHT um rosário de realizações, porquanto ao Cardeal,



daquele total não cabe mais que um terço. Uzi Gal inventou o famoso fuzil UZI, do



qual há milhões de unidades espalhadas pelo mundo, tanto nas mãos de tropas



regulares quanto nas mãos de mercenários, de guerrilheiros, traficantes e tantos



outros meliantes.



Enquanto um facilitou a semeadura da morte, o outro cuidou da salvação da alma



e parece mais que mera coincidência que tenham aparecido lado a lado num



derradeiro registro. Se antes era a espada que andava ao lado da fé, agora o fuzil seu



companheiro é. Bem, pelo menos os que o portam tem nele a maior fé. Se falhar, só



rezar.
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 24Exibido 141 vezesFale com o autor