Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
36 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 56726 )
Cartas ( 21160)
Contos (12583)
Cordel (10005)
Crônicas (22134)
Discursos (3130)
Ensaios - (8936)
Erótico (13378)
Frases (43204)
Humor (18336)
Infantil (3739)
Infanto Juvenil (2597)
Letras de Música (5463)
Peça de Teatro (1315)
Poesias (137949)
Redação (2915)
Roteiro de Filme ou Novela (1053)
Teses / Monologos (2386)
Textos Jurídicos (1922)
Textos Religiosos/Sermões (4725)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Ensaios-->A funesta dupla língua dos petralhas -- 23/08/2012 - 16:46 (Félix Maier) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos

PERVERSÃO DA LINGUAGEM PELO PETISMO

RIVADAVIA ROSA

O que parece contradição - trata-se de patologia lingüística (perversão da linguagem pelo socialismo) reconfigurada pelo duplo discurso propositalmente contraditório, indicativo do stalinismo, simbolizado justamente pela linguagem orwelliana – novilíngua (George Orwell, 1984), que é uma forma de corrupção da linguagem, do significado das palavras e das instituições (a mente e o corpo já estão corrompidos, é claro).

Nessa novíssima linguagem  - democracia - pode também significar - o domínio da minoria, ou seja, autoritarismo; liberdade - o direito de mentir; defesa dos pobres - exploração e aumento da miséria; justiça ‘social’ – expropriação ...

NO BRASIL - a novilíngua – em outras ‘condições históricas e materiais’ – assume reconfiguração moderna de simples ‘neologismo’: criminosos – simples ‘desaforados’, quando não ‘vítimas sociais’; autoridade – ‘autoritarismo’; sanção legal – em ‘repressão’; juiz que apenas cumpre a lei – & 39;exibicionista& 39;; disciplina natural em uma sociedade civilizada –  ‘rigidez’;  violência,  invasão, saques de propriedades privadas – meras ‘ocupações’ e ‘reivindicações de cunho social’ fundamentada na Constituição; preconizar medidas de ordem jurídica para restabelecer a paz social significa ‘criminalizar os movimentos sociais’ e o governo não adota nenhuma medida nesse sentido porque é um ‘governo que & 39;cumpre a lei’, assim, o MST & 39;OCUPA& 39;, POLICIAIS quando em cumprimento de mandado de busca e apreensão – & 39;INVADEM& 39;; informar fatos, eventos e acontecimentos contrários ao governo – sinônimo de ‘deslealdade’, passando a liberdade de expressão de direito natural – a direito ‘relativo’ a ser exercido mediante liberalidade do governo ou pela ‘democratização dos meios de comunicação; a & 39;democracia& 39; dada como exemplo é a da ditadura de Fidel Castro ou  da Venezuela (‘excesso de democracia’); direitos humanos – valor absoluto, desde que não seja prisões por ‘delito de opinião, execução (‘paredón’) na Ilha do ditador Fidel Castro, na China ou genocídio no Iraque promovido por Saddam Husseim, cuja prisão, condenação a pena de morte e execução por  alguns dos crimes que cometeu é criticada radicalmente, enquanto que Pinochet, por ter contido o domínio da barbárie comunista no Chile, mesmo tendo entregue o poder voluntariamente e já morto, continua sendo objeto de críticas radicais; obter um habeas corpus preventivo junto ao STF – ‘atitude republicana’; centralismo democrático -  campo majoritário; compra de políticos – ‘mensalão’ (vertido para o espanhol – mensalón, para o inglês - big monthly allowance - grande pagamento mensal ou vote-buying - compra de votos) simples & 39;governabilidade& 39;; reação legítima da sociedade contra a roubalheira – conspiração das ‘elites’; confisco/expropriação simples & 39;nacionalização’, aumento da área de plantação de coca no país & 39;irmão por afinidade ideológica& 39;, cuja produção é exportada para o Brasil em cerca de 90%, um simples ato de soberania.

No mais, os cidadãos honestos, ordeiros e trabalhadores – viraram & 39;elite branca& 39;, na concepção & 39;neolulista& 39; (esse existe!) de Cláudio Lembo; e a eficiência, a efetividade e a eficácia da ação administrativa do governo – resume-se no simples bordão - "Nunca antes neste país”

PORÉM, O PARADOXO MAIOR OCORRE NOS DEBATES IDEOLÓGICOS

“Os homens brigam porque não sabem argumentar”. G.K .Chesterton

Vivemos  sem dúvida o mais sórdido e triste período da vida nacional, pela corrupção de dimensão tsunâmica e degradação das instituições com o objetivo de corroer a base moral da atual e futuras gerações.

HÁ PSEUDAS TEORIAS – cujos estudiosos – pretensos senhores da verdade - pensam que é ‘ciência’, e, fundados em mera hipótese – desandam para arrogância, enrolam-se na presunção, perdem-se no jargão novilingüístico (patologia), a título de politicamente correto, que só eles entendem, quando não enveredam para a linguagem incompreensível, presumida, arrogante, totalmente obscura e sem sentido e, até com insultos e ofensas pessoais.

TODAVIA - Certas discussões dominadas por uma fraseologia superficial podem induzir a uma avaliação caricaturesca da realidade, ao invés de um convite à reflexão, uma vez que a forma de apresentação das opiniões gera um tratamento tosco da realidade, quando não, contradizem os fatos, pura e simplesmente.

A análise superficial induz o leitor a uma percepção equivocada da realidade, em contradição aos fatos, ao invés de uma reflexão séria e honesta sobre os fatos.

COM EFEITO - CERTAS IMPOSTURAS INTELECTUAIS – com base em argumentos gestados pelo viés da confirmação que opera em termos psíquicos com freqüência e catastrófico no diagnóstico médico, no discurso político, até nas brigas de casais em que o sujeito – ‘dono da razão’ procura ativa e seletivamente (embora de maneira inconsciente) dados que confirmem sua hipótese ou o seu preconceito inicial em que  o prazer de ter razão prevalece sobre argumentos e informações, produzindo cegueiras e absurdos inevitáveis.

TAMBÉM HÁ CASOS DE PERVERSIDADE CONSCIENTE – com elevado custo para a defesa da liberdade – que é quando certos intelectuais ‘orgânicos’ – traem a liberdade por oportunismo, fanatismo ou cegueira, ocultando as imposturas quer por obra da moda, vaidade ou simples vazios mentais, mas, sobretudo ideológico, chegam a interditar o debate intelectual sério e honesto.

É O QUE ACONTECE quando alguém se atreve a criticar os intocáveis esquerdistas – muito comum no século passado na Europa e, reiterado neste século na América Latina turbinado pela marcha da insensatez.

MAS - O que é estarrecedor não são só as críticas, mas também as calúnias, e a mania perversa de desqualificar moralmente o adversário para exonerar-se de ter de refutá-lo com argumentos e razões coerentes.

NUMA CERTA LINGUAGEM FILOSÓFICA DIFÍCIL E CONFUSA, o charlatanismo sociológico, em que pode prevalecer a verborragia vazia, inclusive na crítica literária, psicológica ou psicanalítica – por trás de uma linguagem supostamente especializada oculta o insignificante, o vazio puro intelectual ou a perversidade ideológica, algumas até sob a denominação ideologia zero – negando justamente o que propõe.

OS EXEMPLOS PARTEM PORÉM PARTE da pátria da liberdade - LACAN, DERRIBA, PIERRE BOURDIEU e outras estrelas da inteligência francesa não eram incompreensíveis por serem profundos, mas por trás de sua cegueira verbal, só havia compreensão, vazio e lugares comuns empolados por  inextricável retórica; ROLAND BARTHES – alternava as indecifráveis descrições de teoria literário-lingüística com o esnobismo político e defendia MAO e a revolução cultural chinesa, a que se havia convertido, e, também em suas acrobacias ideológicas – JEAN PAUL SARTRE.

POUCOS FORAM OS PENSADORES MOVIDOS PELA HONESTIDADE INTELECTUAL, pela cultura e espírito democrático - que se atreviam apontar que a revolução cultural chinesa estava aniquilando milhões e milhões de pessoas num holocausto tão estúpido e monstruoso como os perpetrados por HITLER e STALIN – como RAYMOND ARON e JEAN-FRANÇOIS REVEL o fizeram e, outros poucos.

A VERGONHOSA (IM) POSTURA da intelectualidade ‘progressista’ francesa contra SIMON LEYS, destacado sinólogo – que conhecia de primeira mão os crimes do maoísmo, quando publicou seus primeiros livros na França, assim como a batalha que tiveram que enfrentar JEAN-FRANÇOIS REVEL e outros democratas para que a campanha de descrédito da esquerda censora e patrulhadora do supostamente politicamente correta não os aniquilasse, impedindo que suas idéias chegassem aos leitores – é outro clamoroso exemplo.

SEGUEM O ‘JARGÃO’ FILOSOCIOLÓGICO  – com imposturas, textos sem pés, nem cabeça, pesado linguajar acadêmico, embustes, imposturas intelectuais, abusos de termos ‘pós modernista’, estilo pomposo que parece profundo, mas cujo significado está longe da precisão, assim como termos científicos – são empregados desconectados do seu significado e, não raro num contexto em que parecem claros, mas de absoluta irrelevância; terminologia científica misturada com termos não-científicos, empregado com igual falta de rigor; sentenças pomposas repletas de terminologia supostamente científica, cheirando à banalidade travestidas de ‘profundidade’ e totalmente sem sentido, intimidando os leitores com fatos altamente ‘técnicos’ extraídos de teorias ou análise matemática que se mostram posteriormente irrelevantes com relação ao tema.

A DEFESA DO SISTEMA DEMOCRATICO – contra todos os totalitarismos (nazismo, comunismo soviético, maoísmo, ditaduras militares, sátrapas religiosos, castrismo e outros ‘ismos’) – impõe especial atenção à linguagem novilingüística intitulada politicamente correta, posto que 

ESSE É O Modus operandi do socialismo-comunismo – acometidos pela síndrome da psicopatologia esquizofrênica e criminosa - assaltam, roubam, matam, mentem descaradamente, apóiam os ditadores sanguinários esquerdistas, sob a alegação de que realizam sua ‘missão histórica’ e, quando pegos em flagrante, dissimulam cinicamente, inventam ‘conspirações’ contra a democracia, seja para fingir que a defendem seja para demonstrar ao mundo os perigos que ela correria sem a ‘proteção’ deles, muito embora sejam os verdadeiros inimigos da democracia ao promoverem o caos e a anarquia.

Porto Alegre, 14/12/2007

Rivadávia Rosa

 

GLOSSÁRIO NOVILINGÜÍSTICO:

TOTALITARISMO SOCIALISTA: aos sistemas de campos de concentração – denominavam reeducação; carrascos – educadores destinados a transformar os homens de uma uma sociedade burguesa antiga em homens novos; prisioneiros/servos dos campos de concentração zeks (URSS),  estudante do pensamento justo do partido para reformar seu próprio pensamento imperfeito (China)

BRASIL SOCIALISTA: – a novilíngua – em outras condições históricas e materiais – assume reconfiguração moderna de simples neologismo/eufemismo: criminosos – simples desaforados, quando não vítimas sociais; autoridade – autoritarismo; sanção legal – em repressão; juiz que apenas cumpre a lei – exibicionista; disciplina natural em uma sociedade civilizada – rigidez; violência, invasão, saques de propriedades privadas – meras ocupações e reivindicações de cunho social fundamentada na Constituição; preconizar medidas ordem jurídica para restabelecer a paz social significa criminalizar os movimentos sociais e o governo não adota nenhuma medida nesse sentido porque é um governo que cumpre a lei, assim, o MST OCUPA; POLICIAIS quando em cumprimento de mandado de busca e apreensão – INVADEM; informar fatos, eventos e acontecimentos contrários ao governo – sinônimo de deslealdade, passando a liberdade de expressão de direito natural – a direito relativo a ser exercido mediante liberalidade do governo; a democracia dada como exemplo é a da ditadura de Fidel Castro ou da Venezuela (excesso de democracia); direitos humanos – valor absoluto, desde que não seja prisões por delito de opinião, execução (paredón) na Ilha do ditador Fidel Castro, na China ou genocídio no Iraque promovido por Saddam Husseim, cuja prisão, condenação a pena de morte e execução pelo genocídio e milhares de crimes que cometeu é criticada radicalmente, enquanto que Pinochet, por ter contido o domínio da barbárie comunista no Chile, mesmo tendo entregue o poder voluntariamente e já morto, continua sendo objeto de críticas radicais; obter um habeas corpus preventivo junto ao STF – atitude republicana; centralismo democrático -  campo majoritário; compra de políticos – mensalão (vertido para o espanhol – mensalón, para o inglês - big monthly allowance - grande pagamento mensal ou vote-buying - compra de votos) simples governabilidade; reação legítima da sociedade contra a roubalheira – conspiração das elites; confisco/expropriação simples nacionalização, aumento da área de plantação de coca no país irmão por afinidade, cuja produção é exportada para o Brasil em cerca de 90%, simples ato de soberania;imoralidade, improbidade administrativa, malversação de recursos públicos e corrupção política – negociação, articulação política, composição de base, afirma-se como retribuição justa pela liberação de verba orçamentária, prebendas  e cargos públicos.

POR OUTRO LADO - cidadãos honestos, ordeiros e trabalhadores – viram elite branca, na concepção neolulista de Cláudio Lembo; e a eficiência, a efetividade e a eficácia da ação administrativa do governo – resume-se no bordão - "Nunca antes neste país", superando as mais otimistas expressões panglossianas.

PARA JUSTIFICAR A CORRUÇÃO:

Mensalão, mensalinho, valerioduto, cueca, mala, dólar, cafetina, caixa dois, Land Rover, malversação e desvio dinheiro publico, valores não contabilizados...

ACERTO – Palavra de amplo uso no submundo da corrupção. Freqüentemente significa propina, a quantia acertada por fora para facilitar uma licitação ou o fechamento de um contrato.

ALIMENTAR A BASE – Eufemismo usado para o constante pedido, por parte dos aliados, de mais cargos e liberação de emendas pelo governo.

APARELHAMENTO – Jargão para designar ocupação política da administração pública e das estatais por partidos políticos.

ATITUDE REPUBLICANA – “Conseguir um habeas corpus para mentir publicamente.” (Marco Aurélio).

AVALISTA SOLIDÁRIO – “Caso típico de embelezamento de palavras. A frase original (e feita) é “assinei sem ler”, mas todo parlamentar malandro a evita. Quintana falou: “O verdadeiro analfabeto é o que aprendeu a ler e não lê”, mas que político corrupto lembra disso.” (Elias)

BANCO RURAL – “Assento de caminhonete, mochinho campeiro.” (Alemão)

BEM POSICIONADO – Ser “bem posicionado” é ocupar função estratégica em órgãos públicos. É com o bem posicionado que se deve falar para obter nomeações ou informações sobre contratos, por exemplo.

BLINDAGEM - Operação de licitação direcionada para a vitória de algum concorrente. Pode se iniciar em diferentes momentos do processo (o mais seguro, é na montagem do edital), mas depende do cargo onde está o “bem posicionado’ que atuará.

BLINDAGEM – “Aplicação de verniz sobre a cara-de-pau dos acusados.” (Zé da Silva)

BMG - BANCO BMG – “Sigla de Brazilian Maracutation Group, entidade que agrega integrantes de diversos partidos políticos e publicitários do Brasil.” ( Alemão)

CAMPO MAJORITÁRIO – “Local onde manda quem pode e obedece quem quer. Quem não quer, desce.” (Iotti)

DELAÇÃO PREMIADA – “Nova modalidade de loteria instantânea. Quem raspar a cartela e encontrar três delúbios, ganha um habeas corpus preventivo.” (Zé da Silva)

DINHEIRO NÃO-CONTABILIZADO – “Uma vez tive um cachorro chamado Léo, um apelido para Leonel. Dizem que o cachorro do Delúbio se chama recurso não-contabilizado, mas não tem jeito: o cusco só atende por Caixa 2.” (Elias)

DINHEIRO NA CUECA – “Se as mulheres têm um preço para tirar as calcinhas, os homens corruptos mostram quanto valem ao tirarem as cuecas.” (Marco Aurélio)

DOLEIRO – “Cientista criador da ovelha Dolly.” (Alemão)

EMBARRIGAR – Quando um partido e/ou político convence outro, a quem cabe nomear pessoas para ocupar determinado cargo, a indicar pessoas de seu raio de influência.

FABRIQUINHAS – Nome pelo qual são conhecidas as diretorias das estatais loteadas, pois funcionam de maneira praticamente autônoma, visando atender aos interesses dos partidos e/ou políticos responsáveis por ela.

GRAMPO – É o jargão pra rastreamento telefônico. É o pânico dos operadores (leia verbete “operar”), que sempre têm mais de dois celulares e muito raramente os usam para acertos. O grampo tem perdido espaço para as microcâmeras, que gravam reuniões em vídeos.

HABEAS CORPUS PREVENTIVO – É um preservativo moral ou uma camisinha moral.” (Chico Caruso); “Alvará para mentir.” (Zé da Silva)

IRB – “Instituto que provoca arrepios – IRRRB!” (Iotti)

LOTEAMENTO – Expressão de cunho pejorativo usada pela oposição para designar o modelo de divisão de cargos públicos entre partidos da base aliada ao governo.

MALA – “Objeto usado pelos antigos para carregar seus pertences. Hoje, usado para carregar os pertences – a grana – dos outros.” (Marco Aurélio)

& 39;MENSALÃO - propina paga a políticos; – “Grande mesada de gente pequena.” (Iotti);“ termo para diferenciar o mínimo mensal do trabalhador de R$ 300 dos R$ 30 mil, do caixa 2, recebidos pelos parlamentares.” (Marco Aurélio); “Mulher de parlamentar corrupto sabe do que estou falando. Uma vez por mês, com data-base e tudo, algumas sofrem com a famosa TPM (tensão pré-mensalão). É o medo de que o marido seja cassado ou preso e o padrão de vida caia.” (Elias). Escândalo do Mensalão ou esquema de compra de votos de parlamentares é o nome dado a uma crise política sofrida pelo governo brasileiro do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em 2005. O neologismo mensalão, popularizado por Roberto Jefferson na entrevista que deu ressonância ao escândalo, é uma variante da palavra "mensalidade" usada para se referir a uma suposta "mesada" paga a deputados para votarem a favor de projetos de interesse do Poder Executivo. Segundo o deputado, o termo já era comum nos bastidores da política entre os deputados para designar essa prática ilegal.

A palavra mensalão foi então adotada pela mídia para se referir ao caso. A primeira vez que a palavra foi grafada em um veículo de comunicação de grande reputação nacional ocorreu no jornal Folha de São Paulo, na matéria do dia 6 de junho. A palavra, tal como ela é, foi utilizada também na mídia internacional sempre acompanhada de uma pseudo-tradução. Em espanhol já foi traduzida como "mensalón" e em inglês como "big monthly allowance" (grande pagamento mensal) e "vote-buying" (compra de votos).

MENSALINHO – “É o mensalão do baixo clero.” (Chico Caruso)

MESADA – Jargão usado para designar dinheiro que seria pago a dirigentes partidários, fruto de negociações em diretorias de estatais. Diz-se, ainda, de suposta ajuda em dinheiro que parlamentares receberiam para votar a favor de matérias de interesse do governo. Não há casos comprovados de que a prática exista de fato.

MICROCÂMERA – Desbancou o grampo como principal modalidade para flagrar negociatas. Ideal para reuniões entre participantes de esquemas. Envolve, na maioria dos casos, um agente duplo.

OPERADOR – É o termo usado pra descrever a atuação de um indicado em determinado órgão ou área de influência. “Fulano opera em tecnologia”, diria um operador, por exemplo.

OPERADOR DO MENSALÃO – “Aquele que enche e esvazia as malas.” (Iotti)

NERVOS DE AÇO – “É a vingança de Lupicínio Rodrigues. A música que derrubou Roberto Jefferson. É um direto de Lupicínio.” (Chico Caruso)

“Feixe das enervações faciais que comandam os movimentos da cara de pau.” (Santiago)

RECURSOS NÃO-CONTABILIZADOS DE CAMPANHA – Caixa 2

PADRINHO – Jargão pelo qual é conhecido o político responsável pela nomeação de diretores ou funcionários de escalões inferiores de estatais.

PORTEIRA FECHADA – Expressão que designa uma estatal ou um órgão público que será inteiramente ocupado por um mesmo partido. 

Q.I. - Presente em vários outros verbetes, o famoso “quem indica”, que se desdobra facilmente em “Sabe com quem você está falando?” Está no cerne das indicações políticas, e não meritocráticas. É uma das principais engrenagens da corrupção.

RACHID – Gíria empregada para designar a partilha de suposta mesada (leia verbete) por políticos de um grupo e/ou partido. Palavra derivado do verbo “rachar’, é provável que esteja ligado também à propalada habilidade árabe para negociar. Ex.: Fulano e beltrano fizeram o “rachid’ da mesada.

REFUNDAÇÃO – “Palavra que substitui a frase: Agora sob nova orientação.” (Marco Aurélio)

RESTAURANTE DO CONGRESSO – “O único similar onde não são os garçons que recebem os 10%.” (Marco Aurélio)

SM&P – “Sinônimo de SOS. Código utilizado por alguns empresários e políticos para pedir ajuda. Significa ‘Socorro Mamãe, Papai & Brasileiros.” (Alemão)

TRAIÇÃO – “Arte de nobres colegas em apunhalar-se pelas costas com todo o respeito e decoro.” (Iotti)

“Aquilo que no tempo de Judas valia 30 dinheiros e hoje, considerando a inflação do período e as cotações do mensalão vale R$ 30 mil.” (Santigado)

TESOUREIRO INFORMAL – “Picareta formal”. (Zé da Silva)

VALERIODUTO - corredor de propinas; – “Sistema de distribuição de renda criado pelo governo.” (Zé da Silva); “Região mineira do Vale do Rio Duto famosa pela produção de laranjas.” (Marco Aurélio) ZH

VERTICALIZAR – Ordem pra tornar uma determinada estatal ou um ministério ‘de porteira fechada’ (leia verbete), ou seja, restringir as nomeações a um único partido. Exigência comumente feita pelos aliados. (Não confundir com a verticalização das coligações, que é a exigência de que uma aliança regional obedeça obrigatoriamente a nacional.

WATERGATE - O mais célebre caso de “caixa-dois” investigado na história – o que derrubou o presidente norte-americano RICHARD NIXON, tendo como peça-chave o “Garganta Profunda”, que nesta semana se descobriu ser o ex-agente MARK FELT. O caso criou o sufixo quando o assunto é corrupção. COLLORGATE, PITTAGATE, etc.(FSP 06052005)

XADREZ – A velha prisão continua sendo o terror dos corruptos, embora muitos poucos chequem a esse destino.

FUNDAMENTAÇÃO IDEOLÓGICA

MILITANTES IMAGINÁRIOS: Acham que estão fazendo a revolução, sem mover uma palha, de pijama em casa, rezando as jaculatórias que aprenderam no cursinho básico do Partidão, 50 anos atrás.

NARCISISTAS DO FRACASSO: Acham que todos estão errados, todos não prestam. Menos eles, puros e privilegiados espectadores da História.

NEOLIBERAIS RADICAIS SEM VERGONHA: Todos que critiquem o PT.

ADORADORES DO IMPOSSÍVEL: Odeiam administração e limites concretos. Odeiam o mundo real. Usam as utopias como calmante da consciência.

MACHOS VOLUNTARISTAS: “Se eu for presidente (ou ministro), boto pra quebrar. Não tem Congresso, não tem nada.” Já deu em Collor. E em Dirceu, agora.

COMUNISTAS DE PEDRA: Os adeptos desta corrente não mudam um milímetro de suas convicções. Acham a tal da realidade objetiva “volúvel e reacionária”, com sua mania de mudar e ter reviravoltas.

SAUDOSOS DO MATÃO: São os regressistas. "Ah... como era verde meu vale... ah... como tudo era simples... ah... que saudades das certezas e das ilusões... Como seria bom um país com todos comendo paçoca e morando em palhoça”.

PROPRIETÁRIOS DO POVO: Cultivam os pobres como relíquias medievais. “Ah... como é bela e fecunda a miséria... como ela cria uma sagrada ignorância e uma arte tosca e emocionante...”

HERÓIS-MÁRTIRES: “Ah... como é belo o fracasso...” Não é à toa que, em nossa tradição ibérica, os heróis todos viram mártires, enforcados, esquartejados e fuzilados. Para eles, a derrota é sagrada, já a vitória é burguesa, imoral.

“COPRO-IDEÓLOGOS” OU “PAPA-BOSTAS”: Gostam do “quanto pior, melhor”. Acham que só uma grande tempestade de merda salva o país... Depois do excremento, virá a bonança purificadora.

INTELECTUAIS NAUSEADOS: Têm nojo do mundo real. Olham muito o infinito e acham que o simples desgosto com o rumo das coisas lhes dá uma superioridade moral. Sonham com um outro Brasil, que está além do horizonte. Assistem caladinhos à sordidez nacional. Não se metem nessas “coisas sujas” da política. Músicos que fazem canções “muzak”, para elevador, também.

CIENTISTAS DO NADA: Têm a crítica perfeita do Sistema e também a solução, desde que as “condições objetivas” do mundo mudassem para caber em suas teorias. Como não mudam, não há solução, que eles lamentam, do alto de seus tristes compêndios, em casa, de robe de chambre e uísque.

ACADÊMICOS DO RANCOR: Sabem tudo e não fazem nada. Ressentidos, sentem-se vítimas de um mundo mau, que transformou sua vida acadêmica em apostilas sem utilidade. Patrulham os que partem para alguma ação concreta e possível.

CORRUPTO DE ESQUERDA: Um cruzamento de Stalin com ladrão de galinha.

OS GOLPISTAS DE LULA: Os acusados de golpismo são os opositores, que Lula acha que querem impeachmá-lo . Mas, os verdadeiros, são seus assessores.

SALVA-VIDAS DE LULA: Conhecidos como “A Oposição”. Só pensam em não fazer marolas para não piorar tudo.

SOFREDORES DA MISÉRIA: Proprietários do sofrimento alheio. Consideram a tragédia dos excluídos como um problema existencial deles. Lamentam-na e sentem-se bons. A miséria dos outros os enobrece.

CRETINOS FUNDAMENTAIS: Proclamam sua ignorância como uma forma superior de sensibilidade. Costumam escrever: “Não sei, não... mas acho que...” Outro dia, um deles escreveu que “seu pâncreas intuía que...”. Outro disse: “a culpa da corrupção é o dinheiro, é o mercado”. Pensam com o fígado ou com os intestinos. Têm muito ibope. Burrice é comercial.

SIMPLISTAS PROFUNDOS: Só o óbvio, o esquemático, o aparente importam. Complexidade é coisa da direita ou de veado.

MASOQUISTAS REVOLUCIONÁRIOS: Tipo de masoquista que se orgulha da cacetada que levou em 68 e morre de saudades de uma ditadurazinha que o absolva e justifique.

CORRETORES DE ESQUERDA: Perdem nas aplicações de fundos de pensão para salvar os pobres, um dia, no futuro. Já conseguiram roubar cerca de 700 milhões de reais para “salvar o povo”!

FRACASSADOS REVOLUCIONÁRIOS: É um tipo que acha que é fracassado porque é “de esquerda”. Não lhe ocorre que seja “de esquerda” porque é fracassado. “Fracassei em nome do povo!”

VÍTIMAS DA CONSPIRAÇÃO: A vida é um conto-do-vigário em que caímos todos. São o contrário dos deprimidos. Para eles, tudo tem sentido. Quanto mais óbvia uma realidade, mais perigosa. Tudo que parece não é. Também conhecidos como “paranóicos”.

CABOS DE CHÁVEZ: Intelectuais (até as bestas do Antonio Negri e do Michel Hardt) que são fascinados pela truculência de leão-de-chácara do provocador da Venezuela que, em breve, será ditador e mais tarde desorganizador geral da América Latina. Nossos filhos vão sofrer por causa desse imbecil.

COMPANHEIROS EXPIATÓRIOS: Os orgulhosos tarefeiros do segundo time do PT, que, orgulhosos, se entregam à fogueira para salvar os patrões: Delúbios e Pereiras...

VIRGENS NO BORDEL: O PT antes.

PROSTITUTAS PURAS: O PT hoje.

PINÓQUIOS DO BEM: Sob a tutela de Lula, o Pinóquio-chefe, todos os homens do governo e do PT que dizem “nego, não, nunca” a tudo.

O BOM BURGUÊS: Vice-presidente e vendedor de três milhões de camisetas por preço maior que o do mercado, que reclama dos juros altos, apesar dos juros subsidiados que descolou para sua empresa.

LULA: Um presidente que ainda pensa que é o ex-operário que foi manipulado pelos leninistas para ser o símbolo da tomada do poder. Muda de cor como as lulas, de acordo com a necessidade.

MALUCOS, BÊBEDOS E DESINFORMADOS: Nós.  (ARNALDO JABOR http://oglobo.globo.com/jornal/colunas/jabor.asp)

Para justificar o fracasso

"Elite branca" - Cláudio Lembo (PFL-SP), desligar o transponder, fazer a Cicarelli...

"Nunca antes neste país", destravar o Brasil, quadrado mágico- seleção brasileira de futebol,

Apagão aéreo, logístico, administrativo, mental, moral ...

 

Para condenar EXPRESSÕES USUAIS

CARTILHA LULO-PETISTA (lançada em maio de 2005 pela Secretaria Especial de Direitos Humanos, depois retirada em razão da polêmica negativa), com as expressões condenadas:

A COISA FICOU PRETA: conotação racista contra os negros, pois associa o preto a algo ruim.

AIDÉTICO: o correto é HIV positivo ou soropositivo (se não há sintomas), e pessoa com Aids ou doente de Aids (se há).

ANÃO: vítimas de um preconceito peculiar: o de sempre serem considerados engraçados.

BAIANADA: atribui aos baianos inabilidade no trânsito. Preconceito de caráter regional.

BAITOLA: deprecia homossexuais, bem como bicha e boiola. Sugeridos: gay e entendido (a).

BARBEIRO: insulto para motorista inábil. Ofensivo ao profissional que corta cabelo e barba.

BEATA: deprecia mulheres que vão com muita freqüência à missa.

CABEÇA-CHATA: termo insultuoso e racista dirigido aos nordestinos, cearenses em especial.

COMUNISTA: contra eles foram inventadas calúnias para justificar campanhas de perseguição que resultaram em assassinatos em massa, como durante o nazismo na Alemanha.

FARINHA DO MESMO SACO: com expressões como todo político é ladrão, muçulmanos são terroristas, ilustra a falsidade das generalizações, base dos preconceitos.

PALHAÇO: o profissional que vive de fazer as pessoas rirem pode se ofender quando alguém chama de palhaço uma terceira pessoa a quem se atribui pouca seriedade. O GLOBO 030505

PRETO DE ALMA BRANCA: um dos slogans mais terríveis da ideologia do branqueamento no país, que atribui valor máximo à raça branca e mínimo aos negros. Frase altamente racista e segregadora.

SAPATÃO: usada para discriminar lésbicas, mulheres homossexuais. Entendidas e lésbicas são termos mais adequados.

VEADO: uma das referências mais comuns e preconceituosas aos homossexuais masculinos. Expressões adequadas são gay, entendido e homossexual.

XIITA: um dos ramos do Islamismo se tornou no Brasil termo pejorativo que caracteriza militantes políticos radicais e inflexíveis.

(Fonte: ‘mídia golpista).

__._,_.___

"Quando um chefe de Estado e governo afirma que a cobrança ética da sociedade é uma hipocrisia, está explicado como acabou a vergonha geral da Nação.

E quando acaba a vergonha nacional, toda indecência vira normal. Com a maior naturalidade, considera-se que o dinheiro público deva ser gasto para assegurar vantagens especiais em favor dos que têm por função cuidar da coisa pública.

E com a maior naturalidade se desrespeitam direitos dos cidadãos comuns, enquanto facilidades e confortos são ofertados a cidadãos "especiais".

Enfim, até pessoas e empresas que sempre foram corretas, quando a vergonha acaba "lá em cima", também perdem a vergonha "cá em baixo" . E nunca antes neste país houve tanta falta de vergonha como nos dias correntes."

Mauro Chaves

Blog do grupo:  http://resistenciademocraticabr.blogspot.com/

Melô do mensalão

Félix Maier

dezembro de 2005

Delúbio Soares riu na cara de todos os brasileiros ao dizer que, no futuro, as denúncias da corrupção petista, como o mensalão, serão apenas uma piada de salão. Lula, dentro do mesmo espírito de deboche, disse que mensalão não existe, no máximo será tema de sambistas e pagodeiros para o próximo carnaval. É o cúmulo do cinismo, pois a Polícia Federal descobriu que, somente nas empresas de Marcos Valério, foram encontradas mais de 80.000 notas frias. Como disse Diogo Mainardi na revista Veja (nº 1934, de 7/12/2005), "Lula já teria sido deposto se jornais, revistas e redes de televisão não estivessem tomados por seus partidários". Nem foi preciso Mainardi lembrar as falanges petistas que protegem o corrupto regime comunofascista de Lula, fazendo marchas de protestos a favor, como a UNE, a CUT e o MST, em troca de farta verba pública. A corrupção sistêmica da República dos Barbudinhos está sendo acintosamente ignorada pela OAB e pela ABI, que dinamitaram Collor e se calam covardemente diante de uma corrupção mil vezes mais grave.

Atendendo à proposta de Lula, fiz uma singela composição, Melô do mensalão. A letra deverá ser marcada em ritmo de rap (ritmo e palavrão), gênero musical preferido de marginais como os traficantes de drogas dos morros cariocas. Uma questão de coerência.

Refrão:

Já disse com muito veneno

Zulaiê Cobra numa piada de salão:

Na República dos Bandidos,

O chefe é o Bandidão (bis)

Lula, alienado como um mongol,

Repete que não sabe de nada não.

Que tudo é tramóia das elites,

Que querem pisá-lo no chão.

Apesar das 80.000 notas frias de Valério,

Lula diz que não existe mensalão.

A gente manda o homem pro Pinel

Ou para uma cela do cadeião?

Refrão...

Muito antes da roubalheira atual,

Já tinha malandro de montão.

A CPI do Banestado foi enterrada

Por mais de um Mentor de plantão.

Atendendo a petistas e tucanos,

As investigações foram pro lixão.

Isso prova que Lula e FHC

São gêmeos siameses, mermão!

Refrão...

A máfia não gosta só de dólares

Pra forrar o largo cuecão.

Tem contas em paraísos fiscais,

Pra enfrentar qualquer furacão.

Enquanto prega o desarmamento,

Põe na cintura um tresoitão.

De Toninho do PT a Celso Daniel

Já foram nove pro caixão.

Refrão...

Não é só de dinheiro

Que vive a Bancada do Mensalão.

Alugaram uma casa em Brasília

Pra dar asas à imaginação.

Contrataram as meninas de Mary Corner

Pra baixar o tesão.

O professor estava certo

Ao bater no Zé com o bengalão.

Refrão

O comunista Aldo "Dia do Saci" Rebelo,

Foi eleito pela  Frente do Mensalão.

Ateu, o substituto de Severino

Falou a frase mais engraçada da estação:

Pediu para que o coronel Nhô Cêncio

Não brigasse, "pelo amor de Deus!", no verde salão.

Arthur Virgílio e o grampinho ACM Neto

Prometeram dar uma surra no Lula, na mão.

Refrão...

Roberto Jefferson estava certo

Ao apontar o dedo na cara do Frestão:

Sai rapidinho daí, Zé, senão

Você leva o presidente de roldão.

Abi Ackel não viu nada de anormal

Dentro da CPI do Mensalão.

A única coisa que ele enxerga

É pedra preciosa na mão...

Refrão...

A bordo do Air Force 51 (Aerolula),

O presidente passeia pelo sertão.

O Bolsa-Família se tornou

O voto de curral em moderna versão.

Bem-vindo dinheiro de Cuba e de Angola,

E de estatais e fundos de pensão!

Apesar da roubalheira petista,

Lula sobe nas pesquisas de opinião.

Que nação!

 

Obs.: Ainda bem que Lula já caiu fora, levando uma surra de Ayrton Senna, na enquete "o maior brasileiro de todos os tempos" - cfr. http://www.sbt.com.br/omaiorbrasileiro/candidatos/ confrontos. Só falta inventarem uma repescagem... (F. Maier)

 

Mensalão no STF: Faltam Lula, Lulinha, o BMG, Romero Jucá, Daniel Dantas, Flávio Guimarães,

Fernando Pimentel, Carlinhos Cachoeira e Dilma Rousseff, a "filha do mensalão"

 

Imagens de O Chefe Lula

 

Provas do envolvimento dos acima citados no Mensalão:

O mensalão em 38 fotos

A cronologia do escândalo do mensalão

E Dirceu e LuLLa não sabiam de nada?

O Chefe, de Ivo Patarra

Planalto fez gestão para poupar Lulinha

Lula, o BMG e o tenebroso decreto de sexta-feira, 13

Advogado de Jefferson diz que Lula era o chefe do mensalão

Procurador gaúcho responsabiliza Lula por mensalão

Nervos demais, Lula de menos no mensalão

MPF acusa Lula de improbidade por favorecer BMG

Ministério Público Federal entra com ação contra Lula

Lula e ex-ministro são acusados de favorecer Banco BMG

MPF/DF PEDE CONDENAÇÃO DO EX-PRESIDENTE LULA

Os esquecidos do mensalão

Carlinhos Cachoeira – Wikipédia, a enciclopédia livre

Há seis anos, Cachoeira era personagem da CPI dos Bingos, a & 39;CPI do fim do mundo& 39;

Cachoeira teria ligações com executivo da construtora Delta

Delta recebeu dinheiro do PAC por obra inexistente

Delta financiou a campanha presidencial de Dilma

 

Autópsia da corrupção: Maurício Marinho, dos Correios, recebe propina

Extraído da Wikipédia (http://pt.wikipedia.org/wiki/Carlinhos_Cachoeira):

Carlos Augusto de Almeida Ramos,[1] mais conhecido como Carlinhos Cachoeira, também denominado pela imprensa de Carlos Augusto Ramos (Anápolis, 3 de maio de 1963[2]), é um empresário brasileiro, preso sob acusações como envolvimento no crime organizado e corrupção.

O nome de Carlinhos Cachoeira ganhou repercussão nacional em 2004 após a divulgação de vídeo gravado por ele onde Waldomiro Diniz, assessor do então ministro da Casa Civil José Dirceu, lhe faz pedido de propina para arrecadar fundos para a campanha eleitoral do Partido dos Trabalhadores e do Partido Socialista Brasileiro no Rio de Janeiro. Em troca, Diniz prometia ajudar Carlinhos Cachoeira numa concorrência pública carioca. A divulgação do vídeo se transformou no primeiro grande escândalo de corrupção do governo Lula[3][4]

 

Leia os textos de Félix Maier acessando os blogs e sites abaixo:

PIRACEMA - Nadando contra a corrente

Mídia Sem Máscara

Usina de Letras

Wikipédia do Terrorismo no Brasil

 

Leia sobre o Movimento Militar de 1964: O Cruzeiro- 10 de abril de 1964 - Edição extra

Faça o download do ORVIL - O Livro Negro do Terrorismo no Brasil: http://www.averdadesufocada.com/images/orvil/orvil_completo.pdf

Tags

América Latina Argentina Bolívia Brasil Castro Che Guevara Chávez Colômbia Colômbia. Farc Cuba Dilma Rousseff Direito Estados Unidos Europa FARC FHC Farc Fidel Castro Folha de S. Paulo Foro de S. Paulo Foro de São Paulo Hitler Honduras Hugo Chávez Igreja Católica Islamismo Israel Jihad Lula MST Marx O Estado de São Paulo O Globo ONU Obama Oriente Médio Rede Globo Venezuela aborto ahmadinejad ambientalismo antissemitismo brasil capitalismo cinema ciência comunismo conservadorismo cristianismo cultura cultural denúncia desinformação direito ditadura doutrinação economia editorial educação eleições esquerdismo globalismo governo do PT história holocausto homeschooling ideologia islamismo liberalismo marxismo media watch movimento gay movimento revolucionário nazismo notícias falantes notícias faltantes oriente médio perseguição anticristã politicamente correto racismo religião revolução socialismo terrorismo tortura totalitarismo 2012

 

 

 

 

 

 

 

 

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 489Exibido 371 vezesFale com o autor